Por onde anda os direitos humanos? Em pleno século XXI, comunidade rural em Pé de Serra vive sem sanitários e sem comunicação

Por onde anda os direitos humanos? Em pleno século XXI, comunidade rural em Pé de Serra vive sem sanitários e sem comunicação

As famílias vivem em situação sub-humana.

Fotos: Teones Araújo

Em pleno século XXI, a comunidade de Caldeirão Velho, em Pé de Serra, município localizado no território do Jacuípe, há 106 km da segunda maior cidade do interior da Bahia, Feira de Santana e 206 km de Salvador, convivendo com situação de extrema pobreza, ao ponto de nenhuma residência ter sanitário. O povoado também conhecido como ‘Piris’, moram 63 pessoas distribuídas em 07 casas e nenhuma delas tem sanitário, banheiro e apenas duas têm televisão e só uma pessoa tem celular, que sofre procurando um local que tenha sinal para se comunicar.

A matriarca da comunidade é a aposentada Ana de Jesus Silva, 60 anos, mãe de 07 filhos e mais de sessenta netos, ela disse ao CN que essa população sobrevive do Bolsa Família e da aposentadoria dela e do esposo. As moradias estão em péssimas qualidades, às telhas são antigas e quebradas, quando chove os moradores usam plásticos para evitar alagamento por causa da quantidade de goteiras. “Nossas casas só estão cobertas para proteger do sol, quando chove, é como estivesse la fora”, lamentou.

Com a fé, típica dos sertanejos, Dona Ana do Piris, como é conhecida, falou ao CN que “entrega tudo a Deus”, pois, “aqui na terra é muito sofrimento, mas estamos vivendo”, desabafou. Ela narrou suas condições de vida e disse que tudo lá é dividido

 

O sistema de abastecimento d’água está há 800 metros da comunidade e diante da seca prolongada, a água chega através de carros-pipa. O tanque de armazenar está seco e os caminhões colocam a água na única cisterna do povoado. As crianças estudam no Povoado de Caldeirão da Prima em uma escola multi-seriada.

Na visita que o CN fez a comunidade, encontrou com o agente de saúde Adailton Oliveira Rios, que atende as famílias  e em um determinado momento da conversa, referindo-se a Dona Ana, ele disse que ela era “bem mais forte” e ao ouvir essa expressão, ela respondeu que vem emagrecendo de preocupação. “Essa doença chamada de preocupação, também mata. Eu me preocupo com todo esse povo”, falou a matriarca.

 

A casa de Dona Ana é uma das duas residencias que possui televisão, e ela precisa compartilhar, principalmente com as crianças..

Jacira Silva Souza de Jesus, 37 anos, já teve 12 filhos, sendo que dois morreram. O mais velho tem 19 anos e o mais novo, 02. O CN questionou se ela ainda quer ter mais filhos e sua resposta foi a seguinte: “Depende da vontade de Deus”.

Com informação Calila Noticias

Comments

Comentários no Facebook

shared on wplocker.com