Reportagem exibida no Domingo Espetacular revela que Marcelo Rezende implorava por morfina e que método alternativo o matou

 

Reportagem exibida no Domingo Espetacular revela que Marcelo Rezende implorava por morfina e que método alternativo o matou

Marcelo Rezende e o doutor Lair Ribeiro (Foto reprodução)

Uma reportagem exclusiva feita pelo “Domingo Espetacular” da Record no último domingo (1) mostrou em primeira mão detalhes do tratamento alternativo utilizado por Marcelo Rezende na luta contra o câncer no pâncreas e no fígado.

Na matéria levada ao ar, a Record mostra que Marcelo Rezende vinha sendo tratado por uma das alunas do doutor Lair Ribeiro. Para quem não sabe, Lair ribeiro, médico que se diz especializado em tratamentos alternativos e alimentares no combate a doenças, não tinha autorização para cuidar de pacientes, por isso indicou a aluna dele de nome Kátia.

Na reportagem levada ao ar no último fim de semana, foram mostrados trechos de mensagens nas quais Marcelo Rezende se correspondia com a doutora Katia. Em algumas das mensagens, o apresentador revela que estava muito mal. Em outra, ele diz que a “coisa está feia” e teria chegado a implorar por morfina para aliviar as fortes dores. O fato é que o método de Lair Ribeiro no combate ao câncer, baseado na dieta de alimentos e em outras técnicas não reveladas com profundidade, não é certificado, nem comprovado como eficaz na luta contra o câncer.

Ainda na matéria levada ao ar, ficou comprovado que o apresentador do “Cidade Alerta” pagava cerca de R$ 4,200 reais diariamente pelo tratamento. Marcelo mantinha contados com o doutor Lair Ribeiro que teria dito ao apresentador para ele ter calma diante das dores, pois precisava passar por aquela fase.

Agora grande parte da imprensa e estudiosos tentam analisar se o fato de Marcelo Rezende ter abandonado o tratamento tradicional com quimioterapia foi decisivo para que o apresentador tivesse uma morte prematura. Estudiosos afirmam que caso o apresentador seguisse o tratamento com quimioterapia ele poderia ter tido uma sobrevida de até 3 anos.

 

Marcelo Rezende faleceu no mês passado e deixou uma legião de fãs e amigos tristes que torciam pela recuperação do apresentador. Rezende apresentava o policialesco “Cidade Alerta” diariamente nas tardes da Rede Record e morreu aos 65 anos, em decorrência de um câncer no pâncreas que gerou uma metástase no fígado.

O programa “Domingo Espetacular” revelou como funcionava o tratamento alternativo que o jornalista adotou, após ouvir que só teria 1% de chance de cura. Marcelo se comunicava com o médico Lair Ribeiro e com a ginecologista Katia Yuri Nakazone por conta do procedimento chamado de “Farmácia de Deus”.

Lair, inclusive, era muito venerado por Marcelo, que acreditava na cura. O médico foi bem forte quando cravou que até setembro o jornalista estaria curado, mas não foi, infelizmente, o que aconteceu. O valor pago por Rezende por esse tratamento era de R$ 30 mil por semana. A reportagem do Domingo Espetacular procurou o médico Lair Ribeiro, mas ele não quis gravar entrevista.

O médico nega que tenha participado do tratamento de Marcelo Rezende, mas a reportagem apurou que só entre os dias 28 e 30 de agosto o Lair Ribeiro e o apresentador se encontraram quatro vezes.

O fato é com o tratamento alternativo de Lair Ribeiro, Marcelo Rezende optou por abandonar definitivamente o tratamento do câncer dele feito com quimioterapia, o que pode ter apressado ainda mais a morte do apresentador.

Com informações TV FOCO

Comments

Comentários no Facebook

shared on wplocker.com