Final Feliz: Chega ao fim sequestro de criança em Miguel Calmon

Após quase três dias do rapto garoto Calebe Dourado Costa Barreto, de 9 anos, em uma praça no centro da cidade de Miguel Calmon – distante 36 quilômetros de Jacobina, ele foi libertado e já está com sua família na cidade.

O Jacobina Notícias apurou que Calebe está com policiais civis e familiares em Miguel Calmon, porém ainda não há detalhes se a criança foi resgatada em um cativeiro ou entregue após pagamento de resgate. A redação trará informações assim que a policia divulgar.

 

As informações são do Jacobina Noticias

Feira de Santana: Professores fazem mobilização contra PL que em meio à pandemia institui a educação como serviço essencial

Feira de Santana: Professores fazem mobilização contra PL que em meio à pandemia institui a educação como serviço essencial

Uma das questões que vem sendo debatida em reuniões, segundo Elson Moura, é o ensino remoto.

Professores da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) paralisaram as atividades, que estão acontecendo de forma remota, nesta quarta-feira (19), para se juntarem à mobilização nacional contra o Projeto de Lei 5595 de 2020, que está sob tramitação no senado federal.

De acordo com o presidente da Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Feira de Santana (Adufs), Elson Moura, o objetivo maior da paralisação é denunciar o projeto, que institui a educação como serviço essencial.

“Na primeira vista parece algo positivo, mas na verdade nessa conjuntura de pandemia que estamos vivendo significa o retorno às atividades sem a vacinação e as mínimas condições sanitárias. O objetivo é denunciar e pressionar senadores, que esse projeto está no senado, para que reprovem”, informou o representante sindical.

Segundo ele, aproveitando um roteiro nacional, o sindicato realizou em Feira a colocação de faixas para chamar a atenção da comunidade externa para o tema, e durante todo o dia será realizado um conjunto de atividades remotas, com a presença de sindicatos de todo o Brasil.

“Às 11h, faremos um twittaço, que consiste em encaminhar mensagens aos senadores, principalmente os da Bahia pra que se coloquem contra o projeto de lei, explicando os motivos. E no final do dia, em Brasília, teremos projeções em prédios públicos. As quatro universidades estão paradas hoje, e além disso na reunião, tivemos a presença de 70 sessões sindicais, com paralisação aprovada. Além do projeto 5595, temos outras bandeiras contra o governo federal, que são o Fora Bolsonaro e Fora Mourão, e avançamos também para a necessária recomposição orçamentária e contra a reforma administrativa, que mais uma vez ataca servidores e os serviços essenciais à população”, destacou o professor universitário.

Outra questão que vem sendo debatida em reuniões, segundo Elson Moura, é o ensino remoto. Segundo ele, professores e estudantes vêm enfrentando dificuldades para se manter nas aulas.

“Ser contra o retorno presencial implica em necessariamente debater o ensino remoto. Na nossa última assembleia discutimos também sobre quais condições estamos realizando essas atividades, e os relatos implicam em muitos problemas. O primeiro deles é o acesso à comunicação, não só da nossa parte, mas da parte dos estudantes. Os custos com a informática e o atravessamento entre o espaço de trabalho e o espaço de casa. Estamos fazendo um levantamento sobre essas condições, para remeter à universidade quais são as condições dessas atividades remotas”, acrescentou.

Com informações do repórter Ney Silva do Acorda Cidade.

As informações são do corda cidade

Monte Santo: Comerciantes protestam contra ‘lockdown’ em Monte Santo

Monte Santo: Comerciantes protestam contra ‘lockdown’ em Monte Santo

Share Button

Foto: Reprodução/Rede Social

Comerciantes de Monte Santo, cidade localizada na região sisaleira da Bahia, foram às ruas na noite de segunda-feira (17) para protestar contra um ‘lockdown’ decretado pela prefeita Silvania Matos (PSB) em decorrência do avanço de casos de Covid-19 no município.

De forma pacífica, o grupo se concentrou em frente à prefeitura da cidade. A Polícia Militar esteve no local.

De acordo com publicação do site Monte Santo.Net, os comerciantes se queixam que vêm cumprindo as medidas impostas por decretos e orientações das autoridades sanitárias, e atribuem o aumento no número de casos da Covid ao comportamento de parte da população, que não vem respeitando nem contribuindo com as medidas de segurança, a exemplo da falta de uso de máscara e realização de eventos com aglomeração de pessoas em chácaras e bares.

Nesta segunda-feira, a prefeitura do município publicou no Diário Oficial um novo decreto que prevê que estabelecimentos comerciais, inclusive agências bancárias e casa lotérica, fiquem sem funcionar até as 5h do dia 24 de maio.

Com população estimada em 49.278 habitantes, segundo o IBGE, Monte Santo contabiliza contabilizava 1.154 casos confirmados da Covid-19 e 33 mortes pela doença. Ao todo, 971 pessoas já estão recuperadas e 150 com o vírus ativo.

Com informações Notícias de Santaluz

Miguel Calmon: Sequestradores pedem R$ 1 milhão de reais pelo resgate de criança de 9 anos raptada na manhã de segunda (17)

Miguel Calmon: Sequestradores pedem R$ 1 milhão de reais pelo resgate de criança de 9 anos raptada na manhã de segunda (17)

 

Tarde de terça-feira, 18 de maio de 2021, e aqui em Miguel Calmon, a polícia segue os trabalhos com o propósito de localizar os sequestradores que raptaram uma criança de 9 anos de idade na manhã de ontem (17), no centro da cidade.

De acordo com informações apuradas pelo Calmon Notícias, os sequestradores pediram inicialmente R$ 1 milhão de reais para devolver o garoto, depois baixaram para R$ 800 mil reais, mas a família não teria pago o valor e as negociações continuam.

 

Com informações Calmon Notícias

Sequestro do Cigano: Três suspeitos foram presos e garoto ainda não foi resgatado – confira

Sequestro do Cigano: Três suspeitos foram presos e garoto ainda não foi resgatado – confira

Durante toda a madrugada desta terça-feira (18), a polícia trabalhou com o propósito de elucidar o sequestro do garoto Calebe Dourado Barreto, de 9 anos, raptado ontem (17) por volta das 11h, em frente à residência onde mora com a família na Av. Ronan Mota em Miguel Calmon-BA.

Até o momento, 08h40 da manhã desta terça, três suspeitos de envolvimento no sequestro foram presos  e o garoto ainda não foi encontrado.

De acordo com informações passadas pela polícia ao Jacobina Notícias, Por volta das 18h30, um indivíduo identificado como Emílio Lima de Magalhães, 20 anos (à esquerda), foi visto por policiais militares caminhando em uma estrada vicinal em atitude suspeita. Durante a abordagem, um revólver calibre 38 foi encontrado com Emílio, que assumiu participação no rapto da criança e disse que havia deixado a mata para buscar mantimento para os comparsas que estavam com o garoto.

Emílio, que é da cidade de Feira de Santana, 

contou ao policiais que veio à Miguel Calmon para ajudar dois homens, identificados como Nagui e Josean, que haviam sido contratados por um casal de ciganos para sequestrar a criança, que também é de uma família cigana da cidade. Emílio apontou o casal  Sebastião Gama Barreto e Poliana Miranda como sendo mandantes do crime. “O sequestrador disse que o casal deu todo o suporte à eles, desde o planejamento até a estadia na cidade para raptar a criança. A intenção era sequestrar e extorquir a família, pedindo um valor de resgate”. 

As polícias militar e civil continuam trabalhando para localizar  os sequestradores e resgatar o garoto. O Coordenador da 16ª Coorpin, Dr. Eduardo Brito, disse ao Calmon Notícias ontem que o Governo do Estado já disponibilizou um helicóptero para ajudar nas buscas, caso seja necessário.

 

 

Com informações  Calmon Notícias

Miguel Calmon: PM cerca área onde bandidos podem estar com criança raptada

Miguel Calmon: PM cerca área onde bandidos podem estar com criança raptada

A Polícia Militar montou uma verdadeira força-tarefa para encontrar os bandidos que raptaram o garoto Calebe Dourado Costa Barreto, de 9 anos, na manhã desta segunda-feira (17) em Miguel Calmon – cidade distante 36 quilômetros de Jacobina. Por volta das 11h, dois homens desembarcaram de um veículo Renault Sandero preto e levaram a criança que brincava em uma praça.

Depois de colocarem o menino à força dentro do carro, os bandidos fugiram em alta velocidade em direção à uma estrada vicinal. Conforme apurou o Jacobina Notícias, durante a fuga, o veículo teria se envolvido em um acidente a 6 quilômetros da cidade, teve os pneus estourados e danos que acabaram inutilizando o carro.

Inicialmente, havia a suspeita de que eles usaram outro carro para deixar a região, porém informações colhidas pela reportagem apontam que os homens podem ter adentrado em uma mata com o garoto. Desde o início da tarde, policiais militares de Jacobina e região, além de familiares da criança – que são membros da comunidade cigana – cercam o local na tentativa de encontrar o garoto.

Estamos em cima da serra nesse momento, porque tivemos informações de que os marginais podem ainda estar aqui com a criança. Não vamos parar enquanto não resgatarmos o garoto, uma criança inocente. Essa é a nossa missão, estamos aqui para preservar a integridade e a vida dessa criança – contou há pouco um policial militar do alto de uma das serras, ao Jacobina Notícias.

A mobilização continua em Miguel Calmon e o caso já ganha repercussão em todo o estado, através da imprensa. Ainda não há informações sobre a motivação do sequestro. Até o fechamento da matéria, às 18h50, os criminosos e o garoto ainda não tinham sido localizados.

Fonte: Jacobina Notícias

Com informações Blog do Ril de Beto

Organizações ligadas ao setor de eventos criticam APLB e pedem retorno às aulas na BA

Organizações ligadas ao setor de eventos criticam APLB e pedem retorno às aulas na BA

Foto: Reprodução / ACEB

Cinco organizações ligadas ao setor de eventos divulgaram, nesta segunda-feira (10), uma nota que pede o retorno às aulas na Bahia de forma presencial ou semipresencial. Os empresários criticam a APLB, representante sindical de professores na Bahia, e afirmam que a reabertura das escolas “é fundamental para o desenvolvimento pleno das crianças e para o restabelecimento gradual de todas as atividades econômicas do estado”.

A crítica ocorre porque a APLB tem defendido que, mesmo com a vacinação de todos os trabalhadores da educação, as condições sanitárias para o retorno das aulas presenciais ainda não estão colocadas, sendo necessária a manutenção da paralisação da categoria no estado. “Nós não permitiremos o genocídio em que eles querem colocar os professores de frente com o vírus. Já basta de tanta morte”, afirmou a diretora do sindicato, Elza Melo, na última quarta-feira (5) em entrevista ao Bahia Notícias (relembre aqui).

A nota assinada pela Comissão dos Empresários de Eventos Sociais, pela ABEOC (Associação Brasileira de Empresas de Eventos), pela APE (Associação dos Profissionais de Eventos), pela ABRAPE (Associação Brasileira dos Promotores de Eventos) e pelo Grupo Bahia (Associação dos Empresários, Promotores e Produtores Artísticos e Culturais do Estado da Bahia). Confira abaixo na íntegra.

“Aula à distância nunca foi uma realidade para a maioria dos brasileiros. O Brasil é o país que teve escolas fechadas por mais tempo em todo o mundo! Estudos do UNICEF e Unesco já alertavam que quanto maior o tempo afastado da escola, maior a chance do aluno não retornar. Segundo pesquisas, números alarmantes demonstram que teremos imensos desafios para reverter os impactos da pandemia na educação neste e nos próximos anos. Impactos que reverberam na aprendizagem, desenvolvimento do país, no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), na fome, na violência e desigualdade social.

Para garantir o retorno seguro da volta às aulas semipresenciais na Bahia, trabalhadores da educação foram inseridos na lista de prioridade e já estão sendo vacinados com agilidade.Todas as classes essenciais que foram priorizadas e estão sendo vacinadas, a exemplo dos rodoviários, trabalhadores da limpeza urbana, agentes de segurança e salvamento, dentre outras, seguem com as suas atividades normalmente,. Já os trabalhadores da educação, mesmo com todas as medidas e protocolos sanitários e de segurança apontados e implementados pelas autoridades, se negam a retomar as suas atividades semipresenciais, o que faz com que a Bahia seja hoje, o único estado do país com dificuldade na retomada das aulas.

O estado e o município estão reunindo esforços, investindo na saúde e adotando todas as medidas necessárias para segurança e preservação da vida na retomada gradual das atividades econômicas e educacionais. A Bahia não pode parar! O retorno às aulas, mesmo que no modelo semipresencial, é fundamental para o desenvolvimento pleno das crianças e para o restabelecimento gradual de todas as atividades econômicas do estado. APLB, é trabalhando juntos que vamos progredir!”

Com informações Bahia Noticias

Mães realizam nova carreata para pedir retorno das aulas presenciais em Feira de Santana

Mães realizam nova carreata para pedir retorno das aulas presenciais em Feira de Santana

As mães foram em carreata até o final da Avenida Getúlio Vargas com o intuito de que as outras pessoas vejam que há vários pais interessados na volta às aulas presenciais.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Mães favoráveis ao retorno das aulas presenciais em Feira de Santana realizaram mais uma carreata neste sábado (8). A última ocorreu no dia 22 de abril e o objetivo foi o mesmo: protestar contra o “lockdown exclusivo da educação”, como os pais estão chamando a suspensão das aulas por tempo indeterminado, uma vez que todos os outros setores de serviços já retomaram o atendimento presencial. O objetivo também é chamar a atenção da sociedade para a saúde mental de crianças e adolescentes, diante do isolamento social.

“É um período muito difícil para as crianças. A aula online não tem o aconchego da sala de aula e é muito fácil de as crianças se dispersarem. Fica difícil para eles esclarecerem as dúvidas, não têm maturidade para estarem ali fixos, vendo o que está sendo passado pelo professor. Então isso tudo dificulta o aprendizado”, justificou Tatiana Sampaio, mãe de um estudante de 12 anos.

Cecilia Rolim, mãe de duas crianças, disse ao Acorda Cidade que o grupo escolheu a véspera do Dia das Mães para realizar o protesto porque tem mais pessoas circulando no comércio. As mães foram em carreata até o final da Avenida Getúlio Vargas com o intuito de que as outras pessoas vejam que há vários pais interessados na volta às aulas presenciais.

“A gente sabe que a prefeitura não está funcionando hoje, mas o intuito real é que a gente mobilize a sociedade para ver que existe muita gente interessada no retorno. Tivemos uma audiência com a Secretária de Educação, Anaci Paim, foi muito produtiva. Ela explicou a situação sobre o que é preciso ser feito para estruturar as escolas e fazer tudo de forma com que a prefeitura consiga atender as escolas municipais no ensino híbrido, porque para as aulas presenciais a prefeitura já fez a estrutura em mais de 50% das escolas, mas é necessário que eles preparem melhor a tecnologia e já estão implantando isso. Oferecemos ajuda por meio de sugestões para que a prefeitura siga com esse intuito de voltar. O prefeito já se manifestou, disse que quer o retorno. Às famílias que não se sentem seguras não precisarão mandar seus filhos”, disse.

Tatiana Sampaio destacou que mesmo com o retorno das aulas presenciais, os pais poderão escolher se mantêm ou não apenas as aulas online para os filhos, mas acredita que há um ambiente seguro nas escolas e que, de certa forma, é preciso aprender a conviver com o coronavírus (covid-19).

“Estou segura no sentido de que o vírus está aí e a gente precisa conviver com ele. Meu filho não está numa bolha, ele está em casa, mas eu estou saindo, o pai dele está saindo, então, de certa forma ele tem contato com esse mundo externo. A sala de aula é um ambiente que a gente consegue ter um controle maior por ser um público limitado, há um distanciamento, há higienização, e por que achar que esse vírus está somente na escola? Ele tem contato comigo que vou ao supermercado, o pai que trabalha, eu trabalho, então fica difícil, a gente manter o filho numa bolha achando que só na escola ele será contaminado”, disse.

Tatiana contou ao Acorda Cidade, que precisou permitir que o filho ficasse horas a mais com jogos eletrônicos, para que ele ficasse mais tranquilo, embora considere a prática prejudicial.

Cecília Rolim enfatizou que jamais permitiria a ida de seus filhos para a escola se não acreditasse que há segurança para eles.

“Se as outras atividades foram consideradas seguras para retornarem, por que as escolas não são? As escolas estão fechadas há 418 dias, então é preciso que a gente consiga voltar com protocolos de segurança sanitária. Acho que é totalmente possível. As crianças estão sofrendo, elas sentem dificuldade de se concentrarem nas aulas online, sentem falta dos colegas e as crianças precisam da socialização, da convivência com seus pares, para se desenvolverem adequadamente. Meus filhos são tudo que tenho de mais importante pra mim e jamais os colocaria em risco se eu achasse que eles não estariam seguros num ambiente escolar seguindo os protocolos sanitários”, declarou.

As aulas presenciais estão suspensas desde o ano passado por conta da pandemia de covid-19.

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade

Com informações Acorda Cidade

Bahia autoriza vacinação de pessoas com doenças crônicas e deficiência permanente

Foto: Divulgação

A Comissão Intergestores Bipartite (CIB) autorizou neste sábado (1º), Dia do Trabalhador, a inclusão de pessoas com doenças crônicas e deficiência permanente nos grupos a serem vacinados contra a Covid-19. Em sintonia com o Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde, ela será escalonada, por faixa etária. A CIB é uma instância deliberativa do SUS, na qual reúne representantes dos 417 municípios baianos e o estado.

De acordo com o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, a decisão será publicada no Diário Oficial da próxima terça-feira (4), mas já vale para todo o território baiano neste domingo (2) . “Esses grupos representam mais de 1,7 milhão de baianos e, no Brasil, 28 milhões de pessoas. Diante desse quantitativo expressivo, se faz necessário escalonar, por faixa etária, a imunização desse público”, afirma o secretário.

Na primeira fase, a vacinação ocorrerá em pessoas com doenças crônicas de 59 a 55 anos e pessoas com deficiência permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) de 59 a 55 anos. Também está autorizada a imunização das gestantes e puérperas que comprovem a existência de comorbidades, independentemente da idade, ressalvada a indicação clínica dos fabricantes dos imunobiológicos, que são para maiores de 18 anos.

É importante ressaltar que a gestante com comorbidade deverá comprovar a condição de risco, conforme recomendações do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, do Ministério da Saúde, a exemplo de exames, receitas, relatório médico, prescrição médica, dentre outros. Adicionalmente, poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde. A vacinação poderá ocorrer independentemente da idade gestacional. No caso da puérpera, ao ser vacinada, na condição de lactante deverá ser orientada a não interromper o aleitamento materno.

Ainda ficou pactuado que a ampliação da faixa etária de outros públicos anteriormente aprovados, como trabalhadores da educação, forças de segurança, rodoviários, dentre outros, se dará na medida que forem vacinadas todas as pessoas com doenças crônicas e deficiência permanente com mais de 40 anos.

Com informações Bahia Noticias

Governador libera aula semipresencial em Capim Grosso, Quixabeira e demais municípios da região de Jacobina.

Governador libera aula semipresencial em Capim Grosso, Quixabeira e demais municípios da região de Jacobina.

 

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), flexibilizou algumas medidas restritivas na Bahia e, inclusive, liberou a realização de aula semipresencial na região de Jacobina-BA. As medidas foram publicadas neste domingo, dia 18 de abril de 2021, no Diário Oficial do Estado (DOE). O toque de recolher em Jacobina e região foi ampliado e passa a ser das 21 às 05 horas, até o dia 26 de abril.

Conforme o decreto, as atividades letivas nas unidades de ensino públicas e particulares poderão ocorrer de maneira semipresencial, conforme disposições editadas pela Secretaria da Educação, nos municípios listados abaixo cuja a taxa de ocupação de leitos de UTI se mantenha, por cinco dias consecutivos, igual ou inferior a 75%. O boletim divulgado neste domingo, dia 18 de abril pela Secretaria da Saúde de Jacobina mostra que a taxa de ocupação de UTI é de 100%.

A realização das atividades letivas semipresenciais fica condicionada à ocupação máxima de 50% da capacidade de cada sala de aula e ao atendimento dos protocolos sanitários estabelecidos. No restante do estado, continuam suspensas, até 26 de abril, as aulas presenciais nas unidades de ensino, públicas e particulares.

Confira os municípios que estão liberados para iniciar as atividades letivas de maneira semipresencial: Caém, Caldeirão Grande, Capim Grosso, Jacobina, Mairi, Miguel Calmon, Mirangaba, Morro do Chapéu, Ourolândia, Piritiba, Quixabeira, São José do Jacuípe, Saúde, Serrolândia, Tapiramutá, Umburanas, Várzea da Roça, Várzea do Poço e Várzea Nova.

Com informações Blog do Ril de Beto

  • Divulgação Tem que ser boa! Divulgação é com Fusquinha.Com
  • Fusquinha.Com Publicidade
  • _blank
  • https://capimgrosso.com.br/wp-content/uploads/2021/05/FUSQUINHA-logo-Custom.png
  • ALL CATEGORIES
  • http://stm1.studiorenascer.com:7070/;