Filho mais novo de Alckmin morre em queda de helicóptero em Carapicuíba

Filho mais novo de Alckmin morre em queda de helicóptero em Carapicuíbaage20150402496_1

 

 

Thomaz Alckmin, um dos filhos do governador de SP, tinha 31 anos.
Cinco pessoas morreram no acidente nesta quinta-feira (2)

 

O filho mais novo do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Thomaz Rodrigues Alckmin, de 31 anos, morreu nesta quinta-feira (2) na queda de um helicóptero em Carapicuíba, na Grande São Paulo. Cinco pessoas morreram no acidente.

O helicóptero da empresa Seripatri caiu sobre uma casa em Carapicuíba, nesta tarde, sem deixar sobreviventes. Além do caçula de Alckmin, também morreu o piloto Carlos Esquerdo. A empresa não foi divulgou a lista completa com o nome de todas as vítimas.

O acidente ocorreu por volta das 17h20, segundo os bombeiros. A Seripatri informou, em nota divulgada às 19h11, sem listar os nomes, que um piloto e três mecânicos faziam um voo de teste depois de uma manutenção preventiva. A confirmação de que houve uma quinta vítima só foi divulgada pelos bombeiros por volta das 20h30, também sem divulgar nomes naquele momento.

saiba mais

Thomaz Alckmin trabalhava como piloto. Ele era casado desde 2011 com a arquiteta Thais Fantato e deixa duas filhas, uma de 10 anos e outra recém-nascida, com aproximadamente um mês.

 

Em nota oficial, o governo lamentou o acidente e prestou solidariedade às famílias das demais vítimas (veja íntegra abaixo).

A mãe de Thomaz, a primeira-dama Lu Alckmin, estava em Campos do Jordão e chegou por volta das 21h50 ao Palácio dos Bandeirantes. Alckmin estava em viagem pelo interior do estado e voltou para contar pessoalmente a ela sobre a morte do filho.

Lu Alckmin, ao lado do filho Thomaz Alckmin, e Tais Fantato, para assistir a estreia de Renata Sorrah em São Paulo, em setembro de 2007 (Foto: Janete Longo/Estadão Conteúdo/Arquivo)
Em fevereiro do ano passado, Thomaz e a filha dele ficaram no meio de um tiroteio após serem abordados por criminosos na região do Morumbi. Eles estavam em um carro sem blindagem quando outro veículo parou na frente, impedindo a passagem, e quatro homens saíram armados. O filho do governador estava acompanhado por um carro de escolta. Os policiais militares reagiram e houve troca de tiros com os criminosos.

Thomaz e a filha foram retirados do local em segurança, sem ferimentos. Os criminosos fugiram em seguida. Em 2002, ele já havia sido alvo de criminosos. Um PM que fazia a segurança de Thomaz foi baleado e morreu após trocar tiros com bandidos na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo.

Fonte. G1 .com

Comissão de Constituição e Justiça ( CCJ ) da Câmara aprova proposta que reduz maioridade penal

Maioridade penal

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou nesta terça-feira (31) a admissibilidade da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal no Brasil de 18 para 16 anos. Trata-se do primeiro passo para o andamento da proposta na Casa, no qual os deputados avaliam que o texto está de acordo com a própria Constituição.

Maioridade penal 2

O placar da votação na CCJ foi de 42 deputados favoráveis à PEC e 17 contrários.

O texto permite que jovens com idade acima de 16 anos que cometerem crimes possam ser condenados a cumprir pena numa prisão comum. Hoje, qualquer menor de 18 anos que comete algum crime é submetido, no máximo, a internação em estabelecimento educacional.

Para avançar, a proposta agora precisa passar pela análise de uma comissão especial de deputados, que analisam o mérito (conteúdo) da PEC. Essa fase deve durar 40 sessões, o que leva aproximadamente dois meses.

No fim da tarde desta terça, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou em plenário a criação do colegiado. A instalação da comissão, com a designação de membros e escolha de presidente e relator, deverá ocorrer no próximo dia 8.

Se aprovada na comissão, a proposta vai ao plenário, onde são exigidos 308 votos, do total de 513 deputados, para aprovação, em duas votações. Depois, a proposta precisa passar pela CCJ do Senado e mais duas votações no plenário, onde são exigidos 49 votos entre os 81 senadores.

A PEC foi apresentada em agosto de 1993 e ficou mais de 21 anos parada. Neste ano, a CCJ da Câmara retomou as discussões, encerradas nesta terça após várias tentativas de adiamento por parlamentares contrários, em minoria na comissão.

Nesta terça, deputados do PT, PC do B e PSOL, os maiores críticos, tentaram mais uma vez impedir a votação, por meio de manobras para alterar a ordem dos trabalhos da CCJ. Como estavam em minoria, no entanto, foram derrotados nas votações desses pedidos.

Na sessão também estavam presentes manifestantes contrários e a favor da PEC. Eles carregavam faixas e cartazes e gritavam palavras de ordem. Não houve tumulto.

Ação ao Supremo

Após a aprovação da admissibilidade, parlamentares do PT, contrário à proposta, disseram que vão preparar uma ação a ser apresentada ao Supremo Tribunal Federal para impedir o andamento da proposta no Congresso.

Com base em decisões anteriores da Corte, eles citam trecho da Constituição que impede que seja “objeto de deliberação” proposta tendente a abolir direitos e garantias individuais. “Ainda temos tempo de fazer um mandado de segurança e o faremos. E temos apoio de importantes juristas, como Dalmo de Abreu Dallari, Alexandre de Moraes e José Afonso da Silva”, disse Alessandro Molon.

Discussão

A liderança do governo se manifestou contra a PEC, mas boa parte dos deputados de partidos formalmente aliados ao Planalto votaram a favor. Os líderes do PRB, PSD e PR, por exemplo, orientaram os deputados a votarem a favor da PEC. Na oposição, pediram votos pela admissibilidade da proposta líderes do PSDB, DEM e SD. PMDB, PDT e PROS liberaram a bancada. Votaram contra PT, PC do B, PSOL, PPS e PSB.

Falando pelo governo, o deputado e ex-ministro do Esporte Orlando Silva (PC do B-RJ) tentou convencer os colegas a votar contra a redução da maioridade.

“70% dos países do mundo têm a maioridade penal a partir dos 18 anos. Uma modificação causará estranheza por parte dos países mais avançados, das democracias mais maduras, que aprenderam a respeitar os direitos humanos. O sistema penitenciário brasileiro é uma escola do crime. 70% dos que passam pelo sistema prisional voltam a cometer crimes. Quando falamos do sistema infracional, a reincidência é de 20%”, argumentou o ex-ministro.

Na tentativa de rejeitar a admissibilidade, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) também argumentou que levar um jovem para o sistema penitenciário poderá torná-lo mais violento. “Vamos seguir o exemplo do mundo, onde o conjunto de políticas sociais para infância, adolescência e juventude, tem sim reduzido o conflito com a lei desses jovens”, disse.

Na mesma linha, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) disse que é importante aperfeiçoar outras políticas de recuperação de jovens infratores. “Os problemas brasileiros têm que ser resolvidos num outro plano. Queremos discutir o Estatuto da Criança e do Adolescente, estamos inclusive reunindo assinaturas para adequações. Essa temática, ainda que possa prosperar na CCJ, não prosperará no plenário dessa Casa nem no Senado”, disse o petista.

O relator da proposta, Tadeu Alencar (PSB-PE), também contrário, argumentou que a idade de 18 anos prevista pela Constituição para a maioridade penal é uma cláusula pétrea, isto é, uma regra que não pode ser mudada pelo Congresso.

“Trata-se de uma garantia individual, que assegura ao adolescente ser considerado inimputável. Tal garantia decorre do princípio da dignidade humana e cuida de proteção da infância e da adolescência, um dos fundamentos do Estado Democrático de Direito”, afirmou Alencar.

Favorável à proposta, o deputado Evandro Gussi (PV-SP) argumentou que a maioridade penal deve ter uma “modulação” para se adequar ao direito da vítima de ver punido seu agressor. “A vítima tem, sim, o direito de ver o seu algoz punido. Há sim um direito fundamental à persecução penal por parte da vítima. O que é permitido pela Constituição é que haja modulação entre esses dois direitos individuais”, afirmou o deputado.

Também favorável à PEC, o deputado Marcos Rogério (PDT-RO) afirmou que a proposta busca reduzir a impunidade contra atos de violência. “Essa admissibilidade não vai prejudicar quem faz as coisas certas. Não estamos colocando jovens na cadeia. Vamos fazer com que aqueles que cometem crimes não tenham certeza da impunidade, só isso”.

Outro deputado favorável, Evandro Cherini (PDT-RS) disse que a mudança pode diminuir a certeza da impunidade. “É uma tentativa de que essa mudança possa, quem sabe, diminuir, através do medo do crime, a certeza da impunidade, que a sociedade toda tem. A sociedade comete crime porque tem certeza que vai ser impune. Quem é que tem a bolinha de cristal para dizer que vai ficar pior. Eu estou no time do Tiririca: ‘Pior que tá não fica’. É só cumprir a lei, fazer as coisas certas. Eu não quero colocar nenhum jovem na cadeia, acho que é horrível.”

Também a favor da redução, Felipe Maia (DEM-RN) disse que essa posição é “majoritária nas ruas”. Ele disse que a medida não exclui a necessidade de prover ensino em tempo integral, para prevenir a criminalidade entre jovens, e a reforma do sistema prisional, para efetivamente recuperar criminosos. “Isso que o Brasil e esta comissão deseja há 22 anos”, afirmou.

Fonte:G1

Jornalista Beatriz Thielmann, da TV Globo, morre em São Paulo

bt

 

Repórter tinha 63 anos e lutava contra um câncer.
Com mais de 30 anos de carreira, ela entrevistou Fidel Castro em Cuba.

Do G1 Rio

 

 

 

 

A jornalista Beatriz Thielmann, da TV Globo, morreu em São Paulo neste domingo (29). A repórter tinha 63 anos e lutava contra um câncer. Ela deixa dois filhos e dois netos.

Em nota, a Rede Globo diz: “Para os colegas, a perda é irreparável. A direção da Globo ressalta que Beatriz era uma profissional brilhante e uma colega de trabalho sem igual”.

Com mais de 30 anos de carreira, Beatriz Theilmann cobriu importantes momentos do país, como a promulgação da Assembléia Nacional Constituinte, em 1988, a eleição e morte de Tancredo Neves, a implantação do Plano Cruzado, a Eco-92, os Jogos Pan-Americanos e a visita do Papa Francisco ao Rio.

 

A primeira escolha profissional foi o curso de direito, mas, depois de dois anos, trocou pelo de jornalismo. No final de 1982, Beatriz ficou sabendo que a Globo abriria uma vaga de editor de texto. Entrou para o estágio e acumulou duas funções. Uma no jornal impresso e outra na TV. Na Globo, passou por Bom Dia Brasil, Jornal da Globo, Jornal Nacional, Globo Repórter, além da GloboNews. Cobriu diversas áreas, entre cidade, economia e política.

Beatriz Thielmann tinha 63 anos (Foto: Renato
Velasco/TV Globo)

Beatriz Helena Monteiro da Silva Thielmann foi a primeira repórter da TV Globo a entrevistar Fidel Castro, em 1987. Ela viajou junto com o ministro das Relações Exteriores na época, Abreu Sodré, e mais uma equipe de sete jornalistas e colunistas. Era a única repórter de televisão. A jornalista também acompanhou, por quase 20 dias, uma viagem do então presidente da República, José Sarney, à União Soviética e ao Leste Europeu.

Em 2003, escreveu o livro “De mulheres para mulheres” com a médica Odilza Vidal, contando o que a medicina apresentava de novo para a vida da mulher depois dos 40 anos. Beatriz também roteirizou e dirigiu dois documentários. Um foi “O Bicho Dá. O Bicho Toma”, em 2005, a convite da ONG Renctas, que luta pela preservação dos animais silvestres. O outro foi em 2007, “Vento Bravo”, documentário sobre a história musical de Edu Lobo, que dirigiu em parceria com a jornalista Regina Zappa.

Fonte. G1.com.br

 

Edinho Silva será novo ministro da Secretaria de Comunicação

    • Edinho Silva será novo ministro da Secretaria de Comunicação
    • Posse deve acontecer em 31 de março
    • O novo ministro da Secretaria de Comunicação Social será o ex-deputado Edinho Silva, informou nesta sexta-feira o Palácio do Planalto em nota.

    O petista vai substituir o ex-ministro Thomas Traumann, que deixou o cargo esta semana .

    A posse de Edinho está marcada para o dia 31 de março, às 11h, informou a nota.

    Silva foi tesoureiro da campanha à reeleição da presidenta Dilma Rousseff em 2014 e foi presidente do PT em São Paulo.

    Sociólogo e professor, Edinho Silva é graduado em Ciências Sociais na Unesp de Araraquara e mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de São Carlos. Nascido em Pontes Gestal, na região de São José do Rio Preto, Silva construiu carreira política em Araraquara, onde foi vereador e prefeito por dois mandatos (2000 a 2008). Também foi deputado estadual de 2011 a 2015.

    novoministrocomunicacaotwitter

  • Posse deve acontecer em 31 de março

O novo ministro da Secretaria de Comunicação Social será o ex-deputado Edinho Silva, informou nesta sexta-feira o Palácio do Planalto em nota.

O petista vai substituir o ex-ministro Thomas Traumann, que deixou o cargo esta semana .

A posse de Edinho está marcada para o dia 31 de março, às 11h, informou a nota.

Silva foi tesoureiro da campanha à reeleição da presidenta Dilma Rousseff em 2014 e foi presidente do PT em São Paulo.

Sociólogo e professor, Edinho Silva é graduado em Ciências Sociais na Unesp de Araraquara e mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de São Carlos. Nascido em Pontes Gestal, na região de São José do Rio Preto, Silva construiu carreira política em Araraquara, onde foi vereador e prefeito por dois mandatos (2000 a 2008). Também foi deputado estadual de 2011 a 2015.

Fonte terra.com.br

Ator Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, morre ao 89 anos no Rio

Ator Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, morre ao 89 anos no Rio

Ele estava internado desde o dia 3 de fevereiro na UTI.
Causa da morte foi falência múltipla dos órgãos.

Ele estava internado desde o dia 3 de fevereiro na UTI.
Causa da morte foi falência múltipla dos órgãos. Fonte G1

Comissão de Orçamento da ALBA debate aumento de vistoria com diretor do Detran-Ba

Comissão de Orçamento da ALBA debate aumento de vistoria com diretor do Detran-Ba

Os donos de veículos que pagavam R$ 35,10, a partir de segunda-feira,23, passaram a desembolsar R$ 80 para realizar a vistoria

comissão-do-orçamento-280x210

 

 

Na próxima terça-feira (31 de março), a Comissão de Orçamento, Finanças e Controle da Assembleia Legislativa da Bahia (Al-Ba), vai receber o diretor geral do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-Ba), Maurício Bacellar, para cobrar esclarecimentos sobre o aumento de 128% da taxa de vistoria de veículos do Estado.

A proposta é do presidente do colegiado, deputado Alex Lima (PTN), que tem por objetivo conhecer critérios do aumento.“O papel do legislador é fiscalizar, sobretudo à frente desta comissão. O que estamos buscando é exatamente isso: saber qual parâmetro foi utilizado para subir o valor do serviço obrigatório aos motoristas”, justificou.

Os donos de veículos que pagavam R$ 35,10, a partir de segunda-feira,23, passaram a desembolsar R$ 80 para realizar a vistoria. Importante lembrar que a partir deste ano, todos os veículos com cinco anos ou mais de uso deverão, obrigatoriamente, passar pela vistoria anual. De acordo com a Portaria nº 2045 do órgão, o serviço visa garantir condições de circulação e o documento de licenciamento anual do veículo, de porte obrigatório em todo país.

Fonte Calila noticias

Brasil: Políticos na lista da Operação Lava Jato

Lava Jato

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta sexta-feira (6) autorizar a abertura de inquérito para investigar 49 pessoas – das quais 47 políticos – suspeitos de participação no esquema de corrupção da Petrobras revelado pela Operação Lava Jato.

Entre eles, há 22 deputados federais, 12 senadores, 12 ex-deputados e uma ex-governadora, pertencentes a cinco partidos, além de dois dos chamados  “operadores” do esquema – o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e lobista Fernando Soares, o “Fernando Baiano”.

O PP é o partido com mais políticos entre os que responderão a inquéritos (32). Em seguida, vêm PMDB (sete), PT (seis), PSDB (um) e PTB (um).

Não há governadores de estado na lista. Eventuais casos de governadores deverão ter os pedidos de abertura de inquéritos entregues na próxima semana pela Procuradoria Geral da República ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que tem atribuição de investigar governadores – nos casos das investigações de deputados e senadores, o foro é o STF.

Teori Zavascki retirou o segredo de justiça de todos os procedimentos de investigação. Segundo ele, não existe “interesse social” no sigilo das informações. “Pelo contrário: é importante, até mesmo em atenção aos valores republicanos, que a sociedade brasileira tome conhecimento dos fatos relatados”, argumentou.

O anúncio dos nomes foi feito a partir das 20h25, depois de um dia de intensa ansiedade nos meios políticos de Brasília. Uma assessora do Supremo leu os nomes dos parlamentares alvos dos inquéritos. São os seguintes:

Veja os nomes daqueles que serão investigados e dos pedidos arquivados

  • Investigados

 

  1. ANIBAL GOMES deputado federal PMDB – CE
  2. ROSEANA SARNEY ex-governadora PMDB – MA
  3. EDUARDO CUNHA presidente da Câmara PMDB – RJ
  4. RENAN CALHEIROS presidente do Senado PMDB – AL
  5. VALDIR RAUPP senador PMDB – RO
  6. ROMERO JUCÁ senador PMDB – RR
  7. EDISON LOBÃO senador e ex-ministro da Energia PMDB – MA
  8. ARTHUR LIRA deputado federal PP – AL
  9. ROBERTO BRITTO deputado federal PP – BA
  10. SANDES JÚNIOR deputado federal PP – GO
  11. ROBERTO BALESTRA deputado federal PP – GO
  12. WALDIR MARANHÃO deputado federal PP – MA
  13. LUIZ FERNANDO FARIA deputado federal PP – MG
  14. AGUINALDO RIBEIRO deputado federal PP – PB
  15. EDUARDO DA FONTE deputado federal PP – PE
  16. DILCEU SPERAFICO deputado federal PP – PR
  17. NELSON MEURER deputado federal PP – PR
  18. SIMÃO SESSIM deputado federal PP – RJ
  19. AFONSO HAMM deputado federal PP – RS
  20. LUIS CARLOS HEINZE deputado federal PP – RS
  21. RENATO MOLLING deputado federal PP – RS
  22. JOSÉ OTÁVIO GERMANO deputado federal PP – RS
  23. JERÔNIMO GOERGEN deputado federal PP – RS
  24. MISSIONÁRIO JOSÉ OLIMPIO deputado federal PP – SP
  25. LAZÁRO BOTELHO deputado federal PP – TO
  26. JOÃO LEÃO ex-deputado PP – BA
  27. LUIZ ARGÔLO ex-deputado PP – BA
  28. JOSÉ LINHARES ex-deputado PP – CE
  29. PEDRO HENRY ex-deputado PP – MT
  30. PEDRO CÔRREA ex-deputado PP – PE
  31. ROBERTO TEIXEIRA ex-deputado PP – PE
  32. CARLOS MAGNO ex-deputado PP – RO
  33. VILSON COVATTI ex-deputado PP – RS
  34. JOÃO PIZZOLATTI ex-deputado PP – SC
  35. ALINE CORRÊA ex-deputado PP – SP
  36. MÁRIO NEGROMONTE ex-ministro das Cidades PP – BA
  37. GLADISON CAMELI senador PP – AC
  38. BENEDITO DE LIRA senador PP – AL
  39. CIRO NOGUEIRA senador PP – PI
  40. ANTÔNIO ANASTASIA senador PSDB – MG
  41. VANDER LOUBET deputado federal PT – MS
  42. JOSÉ MENTOR deputado federal PT – SP
  43. CÂNDIDO VACCAREZZA ex-deputado PT – SP
  44. HUMBERTO COSTA senador PT – PE
  45. LINDBERGH FARIAS senador PT – RJ
  46. GLEISI HOFFMANN senadora PT – PR
  47. FERNANDO COLLOR senador PTB – AL
  48. JOÃO VACCARI operador PT –
  49. FERNANDO BAIANO operador SEM PARTIDO –

 

 

 

 

 

 

  • Arquivados
  1. ALEXANDRE JOSÉ DOS SANTOS deputado federal PMDB – RJ
  2. HENRIQUE EDUARDO ALVES deputado federal PMDB – RN
  3. AÉCIO NEVES senador PSDB – MG
  4. DELCÍDIO AMARAL senador PT – MS

 

Da redação do capimgrosso.com.br

Com informações do: G1

 

Câmara anula benefício de passagens para cônjuges de deputados.

Câmara-Federal

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou nesta terça-feira, 3, que a Mesa Diretora decidiu, por unanimidade, revogar o ato que concedia o pagamento de passagens aéreas a cônjuges de deputados. O benefício só será garantido em situações excepcionais, conforme o caso.

Cunha admitiu que a pressão da opinião pública levou ao recuo da medida aprovada na semana passada. Segundo ele, a Casa quer atuar em “sintonia” com a sociedade. “Temos de ter sempre a humildade de andar em consonância com as versões que chegam à opinião pública. Houve um entendimento equivocado, se cristalizou uma versão de um princípio de um benefício, de uma regalia, que não era o caso”, afirmou.

Com a revogação, volta a valer a proibição de pagamento de passagens para cônjuges em vigor desde 2009. Na ocasião, foi revelado que deputados e senadores usavam recursos do Congresso para pagar passagens para amigos e familiares viajarem no Brasil e no exterior, caso que ficou conhecido como “farra das passagens”.

Desde então, apenas parlamentares e assessores têm o benefício para viagens oficiais. O peemedebista não explicou quais seriam os critérios para o pagamento de passagens em casos excepcionais.

Ele citou a deficiência física da deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), terceira secretária da Mesa Diretora, que precisa de cuidados especiais e da presença constante de acompanhantes. “Não dá para criar critérios para definir a excepcionalidade”, afirmou a tucana.

Fonte: Calila Noticias

Morre o cantor sertanejo José Rico, da dupla “Milionário & José Rico”.

José Rico em show com Milionário em dezembro de 2014 em Ribeirão Preto (Foto: Érico Andrade/G1)
José Rico em show com Milionário em dezembro de 2014 em Ribeirão Preto (Foto: Érico Andrade/G1)

Morreu nesta terça-feira (3), aos 68 anos, o cantor sertanejo José Rico, da dupla com Milionário. Ele estava internado desde segunda-feira (2) no hospital Unimed, de Americana (SP), cidade onde morava. Segundo o boletim médico, ele teve insuficiência do miocárdio, seguido de parada cardíaca.

“É com muita dor no coração e profunda tristeza que comunicamos o falecimento do nosso ídolo José Rico. Vamos rezar por este homem que tanta alegria nos deu. É impossível descrever nossa tristeza, estamos todos em estado de choque”, diz a nota oficial. A assessora da dupla disse ao G1 que toda a equipe e a família estão em choque.

“O maior de todos se foi… O mito, a melhor voz desse país! Meu coração está despedaçado… Muito muito triste. Obrigada por tudo, Zé Rico! Me sinto privilegiada de ter convivido um pouco com você!”, escreveu no Instagram a assessora de imprensa da dupla, Amália Barros.

O velório está marcado para esta terça-feira, a partir das 21h, na Câmara Municipal de Americana, de acordo com a funerária Americana.

Nascido em Pernambuco
José Alves dos Santos, de nome artístico José Rico, nasceu em São José do Belmonte (PE), em 20 de junho de 1946. Ele também já morou no Paraná e em São Paulo, onde conheceu o companheiro de dupla Milionário (Romeu Januário de Matos). O duo ficou conhecido como “gargantas de ouro”.

A dupla foi formada no início dos anos 70 e se tornou uma das mais importantes da música sertaneja brasileira. Entre as músicas mais conhecidas estão “Estrada da vida”, “Amor dividido” e “O tropeiro”, “A carta” e “Viver a vida”.

Em 2014, José Rico se candidatou a deputado federal em Goiás, pelo PMDB, mas não foi eleito.

Ele era casado com Berenice Martins Alves dos Santos, e tinha dois filhos gêmeos, Samy e Sara.

Da Redação do capimgrosso.com.br

Fonte: G1

Contas de luz sobem, em média, 23,4% no país a partir de segunda.

Energia

As contas de luz no Brasil vão aumentar, em média, 23,4% a partir da próxima segunda-feira (2), quando começa a vigorar a revisão extraordinária aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta sexta-feira (27).

Para os consumidores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a alta vai ser de 28,7%, na média, 4,5 vezes maior que a aplicada para aqueles que vivem em estados do Norte e Nordeste, que será de 5,5%, também na média.

Essa diferença ocorre porque os consumidores das três primeiras regiões terão mais custos para cobrir com essa revisão extraordinária. Um exemplo é a energia gerada pela hidrelétrica de Itaipu, que atende a todo o país e foi reajustada em quase 50% em 2015, mas que é repassada apenas às contas de luz de moradores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Ao todo, a Aneel autorizou o reajuste das tarifas de 58 das 63 distribuidoras de energia do país. Os cerca de 1,2 milhão de consumidores da AES Sul, que atende em 118 cidades do Rio Grande do Sul, terão o maior reajuste, de 39,5%.

Entre as maiores distribuidoras, os mais altos serão da Copel (36,4%), que atende a clientes no Paraná, da Eletropaulo (31,9%), que atua em São Paulo, e da Cemig (28,8%), que atende a consumidores de Minas Gerais. Veja, abaixo, lista das distribuidoras e respectivo reajuste.

Clientes de quatro distribuidoras não serão atingidos pelo reajuste extra das contas de luz. Os da CEA, do Amapá, porque a empresa não pediu à Aneel a revisão extraordinária. Já os da Amazonas Energia (AM), Boa Vista e CERR (RR), estão livres porque vivem em regiões que não são atendidas pelo Sistema Interligado Nacional (SIN), rede de linhas de transmissão que liga o país, e por isso não participam do rateio de contas do setor.

Aumento extra
As revisões extraordinárias aprovado nesta sexta são um aumento extra nas contas de luz, aplicado quando há risco de desequilíbrio nas contas das distribuidoras. Portanto, os consumidores podem esperar por nova alta em suas tarifas ao longo de 2015, pois a Aneel ainda vai autorizar o reajuste ordinário, aquele que já ocorre uma vez por ano.

Das 63 distribuidoras, 6 já passaram, em fevereiro, pelo reajuste ordinário. A Ampla, que atende cidades do interior do Rio de Janeiro, vai ter os reajustes ordinário e extraordinário aprovados juntos ainda no mês de março, por isso não consta da lista divulgada pela Aneel nesta sexta.

A revisão aprovada nesta sexta vai permitir que as distribuidoras arrecadem, de imediato, recursos para cobrir custos com a compra de energia de Itaipu, novos contratos de suprimento de eletricidade firmados em leilões recentes, além de ações do governo financiadas pela Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

Pela regra, as distribuidoras deveriam bancar essas contas para, depois, serem ressarcidas no reajuste anual, mas elas alegam não ter recursos. Ou seja, essas despesas bilionárias já seriam repassadas aos consumidores mas, com a revisão extraordinária, isso ocorre antes.

Mais cedo nesta sexta, a Aneel aprovou a previsão de orçamento da CDE para 2015. E determinou que os consumidores paguem, via contas de luz, R$ 22,06 bilhões para o fundo.
O dinheiro vai financiar, entre outras ações, o programa Luz para Todos, o subsídio à tarifa de famílias de baixa renda, combustível para usinas termelétricas do Norte do país e o pagamento de indenizações a empresas.

Consumidores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste vão pagar 80% desse valor. Aos consumidores do Norte e Nordeste, será repassado 20% do total. A arrecadação dos R$ 22,06 bilhões será feita ao longo de 2015.

Equilíbrio
O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, afirmou que o reajuste extra vem corrigir “eventos que perturbam o equilíbrio econômico e financeiro das distribuidoras”, entre os quais o repasse da CDE “é o principal item.”

“Com essas decisões que estão sendo tomadas, completamos o ciclo para alcançar a sustentabilidade do setor elétrico por meio da tarifa”, disse Rufino.

A medida faz parte dos esforços do governo para equilibrar as contas públicas e reverter o processo de perda de credibilidade. No caso do setor elétrico, isso significa suspender ajuda financeira às distribuidoras, por meio de recursos do Tesouro, e promover o chamado “realismo tarifário”, ou seja, repassar às tarifas todos os custos do setor.

Fonte: G1