Cansadas de esperar, dezenas de famílias invadem casas populares em São Domingos

 Cansadas de esperar, dezenas de famílias invadem casas populares em São Domingos

Segundo os moradores, as casas deveriam ser entregues a um ano e hoje não estão totalmente prontas.

Cerca de 40 famílias de São Domingos, no território do sisal, devidamente inscritas e sorteadas para receberem casas do Programa Minha Casa Minha Vida, diante da demora e a falta de perspectiva na entrega, resolveram se unir, e por conta própria adentraram as residências na tarde desta última quinta-feira, 17. Algumas famílias primeiramente levaram apenas material de limpeza, enquanto outras já levaram móveis e outros objetos.

Mas o que muita gente pode imaginar é que esses imóveis estão prontos para morar, como ocorre em outras situações Bahia e Brasil a fora, mas esses de São Domingos faltam muita coisa e talvez a falta de condições para continuar pagando o aluguel forçou as famílias procurar o abrigo, por possuir piso, telhado e portas, ignorando outros itens essenciais, como é o caso da água, luz, e esgotamento sanitário, este último até foi feita a escavação para colocar as manilhas, como isso não foi feito lá estão os buracos, e o mato tomando conta e colocando a vida dos moradores, principalmente as crianças em risco.

Uma das contempladas é a jovem Edi Samille Pereira de Almeida, 21 anos, disse que o sorteio aconteceu aproximadamente 1 ano, e a proposta era entregar um mês depois, e isto nunca aconteceu. Todos nós já sabemos qual é a nossa casa, só que nunca foi entregue e estamos vendo acabando com a sujeira, vidros quebrados, servindo para tanta coisa ruim, e a gente sem poder tomar posse”, disse a jovem.

Já outra moradora, Cacilda Pereira dos Santos, disse que já procurou o prefeito Domingos Nafitel Ramos, que alegou falta de recursos para concluir o que compete a prefeitura, ” a gente ouviu dele que não tinha a terra nem para cobrir os canos, não tem dinheiro para comprar as manilhas e a gente só tem que esperar. Mas só que quarenta famílias pagando aluguel e essas casas se acabando, a gente tem que entrar. Hoje falei com uma secretária dele que a gente ia entrar, ela disse que ia ligar para empreiteira para chamar a policia e fim de tirar a gente daqui. Pra onde vai essas famílias? Questionou.

Cacilda disse que vem acompanhando tudo de perto, desde a inscrição, sorteio, conclusão por parte da empreiteira que parou e deixou o restante por conta da prefeitura, “estava tudo muito bonito, limpinho, aguardando a prefeitura no sentido de colocar água, luz e rede de esgoto, para a empreiteira voltar com o acabamento, mas o pessoal da prefeitura não pisa os pés aqui pra nada e a gente só vendo tudo se acabando” lamentou a dona de casa.

 

Outra moradora é a jovem mãe de quatro filhos, Elaine da Cruz Leal, disse que invadiu porque não tem para onde ir, Segundo ela pagava aluguel, mas se condições para pagar aluguel o proprietário pediu a casa e “não vi outra alternativa a não ser vim pra essa que ganhei. Vou ficar aqui mesmo com a situação precária que se encontra, porque não tenho como pagar aluguel”, disse a moradora.

O Calila Noticias entrou em contato com o prefeito Nafitel que se disse preocupado com o problema, entende a situação de cada morador, mas por conta dessa situação de crise que já é de conhecimento de todos, não foi possível a conclusão, mas garante que não é de sua vontade não ter entregado a obra, “tem coisas que fogem do nosso alcance, não tiro a razão deles, mas infelizmente a gente tem que conviver com burocracia, e o pior, a falta de dinheiro. Mas fiquem certas que não estou de braços cruzados para o problema e em breve vai ser resolvido”, garantiu o prefeito.

Fonte/ calila noticias