Capimgrossense: Neto Coruja anuncia aposentadoria e nega futuro no futebol: ‘É preciso puxar saco’

Capimgrossense: Neto Coruja anuncia aposentadoria e nega futuro no futebol: ‘É preciso puxar saco’

neto pendura a chuteira

Cria do Vitória, o volante Neto Coruja anunciou sua aposentadoria do futebol nesta última sexta-feira (11). Mesmo com apenas 28 anos, o atleta optou por encerrar uma carreira marcada por lesões musculares e pela vida boêmia. “Infelizmente pendurei as chuteiras. Estava muito triste por não conseguir jogar futebol. Existe a cobrança da torcida e nos últimos dois anos não consegui ter uma sequência de dez jogos. Tomei a decisão de parar, pois ficar dando murro em ponta de faca é complicado”, desabafou o jogador. Coruja colocou na balança ainda o fato de que ele provavelmente iria atuar em equipes menores, sem a mesma estrutura do Vitória ou do ABC, seu último clube, o que poderia prejudicá-lo ainda mais. O agora ex-volante garantiu que não tem pretensão de trabalhar dentro do futebol no futuro e pensa em voltar a estudar em 2016 para procurar um emprego, apesar de ainda não saber em que: “No futebol não tenho pretensão nenhuma. Tenho uma personalidade muito forte. Para trabalhar no futebol é preciso puxar o saco de muita gente, principalmente no início de uma carreira”, declarou. Coruja, que fez parte do elenco do Vitória que chegou à final da Copa do Brasil em 2010 – tendo até mesmo dado passe para o gol de Júnior na segunda partida da final contra o Santos. Esse também foi ano em que ele resolveu deixar a vida boêmia de lado e parar de ser um frequentador assíduo da noite soteropolitana. ”Carreguei a fama de barqueiro, mesmo depois que já tinha parado com isso. Me conscientizei que vida de atleta de alto rendimento não pode ser daquele jeito. Mas não me arrependo de nada”, declarou. Apesar disso, o volante sempre se destacou por ser um dos atletas que mais se dedicavam nos treinos, até mesmo em folgas ou quando estava de férias. Coruja ainda fez questão de agradecer a diretoria do Vitória pelas tentativas de livrá-lo das lesões musculares. “O Vitória me deu toda a estrutura. Sou muito agradecido. Fez exames com um dos melhores médicos do Brasil. Ele tirou um pedaço do meu músculo para análise e não deu nada. Disse que era apenas um desequilíbrio muscular. Tentei fazer o melhor e nunca consegui equilibrar. Acho que por ter uma grande sequência de lesões, isso acabou com minha musculatura e aí teve esse desequilíbrio. Muita gente falava besteira, que eu tinha alguma coisa crônica. Não é isso. Tive tendinite patelar, que é normal. Também tive uma lesão no joelho e passei por cirurgia, mas os meus problemas eram musculares. Infelizmente tive que tomar essa decisão de parar”, finalizou. A última partida de Neto Coruja pelo Vitória foi na derrota por 1 a 0 para o Santos, no dia 7 de dezembro de 2014, no Barradão, no duelo que rebaixou o Leão para a Série B. Já seu último jogo como profissional aconteceu no revés do ABC por 3 a 2, em 25 de julho deste ano, em São Luís (MA).

Fonte/ Arnaldo Silva