Homem é condenado a 31 anos na BA por estuprar e matar prima de 6 anos

Homem é condenado a 31 anos na BA por estuprar e matar prima de 6 anos

Homem confessou ter cometido crime por vingança, em 2013, em Almadina.

112034-3

Foto: Reprodução/ TV Bahia

Um homem suspeito de raptar, estuprar e assassinar a prima de 6 anos foi condenado a 31 anos e quatro meses de prisão em julgamento realizado na sexta-feira no fórum de Coaraci, na região sul da Bahia. O crime ocorreu em 2013 no município de Almadina.O acusado, Emerson de Jesus Santos, de 28 anos, confessou à época, após ser preso, ter matado a menina Andressa dos Santos Ferreira por vingança.

112035-3

Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Segundo a polícia, a garota ficou quase um mês sob poder do primo antes de ser assassinada. O homem foi preso três dias depois de o corpo da menina ser encontrado jogado no Rio Almada. Emerson, que desde o crime aguardava pelo julgamento no Conjunto Penal de Itabuna, foi condenado por homicídio qualificado.

Caso

Na época em que foi preso, segundo a polícia, Emerson disse que estava revoltado com a família e raptou a criança para se vingar. O homem dizia que os parentes o chamavam de drogado, traficante e que, por isso, ficou revoltado.

A menina foi retirada de casa no dia 19 de agosto de 2013. A mãe dela afirmou que a deixou na sala de casa para ir ao quarto e, ao voltar, não achou mais a filha. O suspeito começou a ser investigado pela Polícia Civil a partir do relato de testemunhas.Os familiares da garota, segundo a polícia, espalharam cartazes pela cidade após o sumiço da menina e algumas pessoas relataram ter visto Emerson com a vítima no dia do crime.

O corpo foi encontrado no Rio Almada, na zona rural de Coaraci, no dia 15 de agosto. Segundo a polícia, o corpo estava em estado avançado de decomposição, o que impossibilitou sua identificação imediata. A mãe da garota e reconheceu a filha apenas pelas roupas que ela estava vestindo. O corpo da vítima tinha fiação enrolada no pescoço, o que, para a polícia, indicava o crime de homicídio.

Fonte/ Acorda Cidade