Hospital da Mulher inaugura novo Banco de Leite e amplia serviços em Feira

Hospital da Mulher inaugura novo Banco de Leite e amplia serviços em Feira

A diretora da Fundação Hospitalar, Gilbert Lucas, que administra o Hospital da Mulher, informou que a nova unidade do Banco de Leite do Hospital da Mulher é mais ampla e humanizada

114345-3

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade
Foi inaugurado na manhã desta terça-feira (13) o novo Banco de Leite do Hospital da Mulher, situado no bairro Jardim Cruzeiro. Na oportunidade também foi inaugurada a Sala do Coraçãozinho, onde será feita a triagem nos bebês recém-nascidos para saber se têm ou não doenças ligadas ao coração, como a cardiopatia congênita.

A diretora da Fundação Hospitalar, Gilbert Lucas, que administra o Hospital da Mulher, informou que a nova unidade do Banco de Leite do Hospital da Mulher é mais ampla e humanizada, onde o número de mães doadoras poderá ser ampliado e elas deverão receber todo o acolhimento necessário.

 

“O Banco de Leite do Hospital da Mulher já é referência, padrão ouro, mas vimos a necessidade de ampliar essa unidade para atender melhor essas mães, também com um espaço de auditório, onde podemos capacitá-las fazendo palestras, aumentando essa capacidade de doação de leite materno. É uma estrutura dentro do hospital e a gente irá fazer um atendimento bem melhor”, afirmou Gilbert Lucas, acrescentando que a nova estrutura recebeu um investimento de R$ 250 mil.

Sala do Coraçãozinho

De acordo com a diretora da Fundação Hospitalar, a Sala do Coraçãozinho foi inaugurada em homenagem a Andressa Vitória, que nasceu com cardiopatia congênita no Hospital da Mulher, precisou fazer uma cirurgia do Rio de Janeiro, mas não resistiu e morreu.

“Então a gente fez uma homenagem para os pais da Vanessa. Nessa sala será feita a triagem do coraçãozinho, que é necessária. Umas das triagens que é norma do Ministério da Saúde, assim como o teste do pezinho e do ouvidinho. O teste do coraçãozinho serve para identificar se essa criança tem uma cardiopatia ou não. Nós temos um monitor onde é efeito o exame por uma equipe capacitada. Sendo constatada alguma alteração, a criança é encaminhada para o cardiologista pediátrico do hospital”, explicou Gilbert Lucas.

 

Ela falou ainda sobre outras transformações que foram feitas no hospital, como a ampliação no ano passado da enfermaria D e do método Canguru, que ganhou mais catorze leitos, a reestruturação da parte de pediatria, e o aumento de 300 exames para 650. “Além disso, o hospital aumentou o número de gestantes avaliadas no acolhimento e há projetos encaminhados para 2017. O planejamento é essencial para se dar continuidade ao atendimento”, concluiu.

Fonte/ Acorda Cidade