Polícia acredita que professora foi morta por alguém que conhecia vítima

 

Polícia acredita que professora foi morta por alguém que conhecia vítima

enterro_professora_2

Enterro da professora Ienata Rios na cidade de Pé de Serra | Foto: Raimundo Mascarenhas/Calila Notícias

O delegado Sérgio Araújo Vasconcelos, que investiga a morte da professora Ienata Pedreira Rios, 35 anos, afirmou ao G1 nesta terça-feira (5) que a principal suspeita é de que o crime tenha sido cometido por uma pessoa que conhecia a vítima. A polícia descartou a hipótese de latrocínio. “Pela cena do crime, ele foi praticado por alguém próximo à vítima, disso nós temos certeza. A casa não tinha sinais de arrombamento e nenhum objeto foi levado. Também descartamos que houve abuso sexual, porque não há sinais. Pedimos o exame à procura de sêmen para ter algo comprobatório, mas sabemos que não houve abuso”, relatou Vasconcelos. Conforme o delegado, até agora foram ouvidos alguns vizinhos e o noivo da professora. Ienata foi enterrada na manhã desta terça-feira, na cidade de Pé de Serra, interior baiano. Ela foi morta a facadas na casa onde morava, no último domingo (3), em Riachão do Jacuípe. A cerimônia reuniu dezenas de parentes, amigos e moradores, que acompanharam as homenagens na despedida da professora, que além de Riachão do Jacuípe, dava aulas também no município de Pé de Serra.

Fonte: Redação Notícias e Santaluz