Politica: Em inauguração de obras, governador diz que tomará providência sobre serviços da Coelba e Embasa

Politica: Em inauguração de obras, governador diz que tomará providência sobre serviços da Coelba e Embasa

O governador disse que está negociando uma parceria público-privada para executar investimentos na Embasa.

93105-3

Foto: Ed Santos / Acorda Cidade

Na manhã desta última sexta-feira (8), o governador Rui Costa esteve na sede de Feira de Santana e no distrito de João Durval Carneiro, Ipuaçu, onde inaugurou simbolicamente a obra de ampliação do sistema integrado de abastecimento de água. O governador aproveitou a oportunidade para entregar máquinas retroescavadeiras para vários municípios e falou sobre os problemas que os feirenses têm enfrentado junto a Embasa e Coelba.

A população de Feira de Santana tem reclamado bastante sobre a qualidade dos serviços prestados pela Embasa e pela Coelba. As reclamações chegaram ao conhecimento do governador e ele se posicionou sobre o assunto, afirmando que vai tomar as devidas providências e indicando que a resolução dos problemas está na privatização e no aumento de recursos.

“No caso da Coelba, infelizmente o problema não é só em Feira de Santana. A Coelba é uma empresa privatizada e presta um péssimo serviço ao Estado da Bahia. Eu formalizei como governador uma denúncia, uma crítica ao Ministério de Minas e Energia e a Agência Nacional de Energia cobrando providência o ano passado. Vou fazer uma nova reclamação e pedir para o procurador do estado entrar com uma ação judicial contra a Coelba pedindo ressarcimento dos prejuízos ao estado e à população da Bahia”, afirmou.

Em relação a embasa, ele falou sobre a necessidade de uma nova adutora e uma nova estação de tratamento de água para abastecer Feira de Santana. O governador disse que está negociando uma parceria público-privada para executar investimentos nesse setor.

“São 300 milhões em execução atualmente, e eu quero realizar mais 300 milhões. Ir para 600 milhões de investimentos. Quero fazer uma parceria com a iniciativa privada porque o governo federal não tem esse recurso, o estado não tem, mas Feira não pode esperar. Feira cresce rápido e nós temos que responder a esse crescimento com a mesma velocidade”, concluiu.

Fonte/ Acorda Cidade