Politica: Solla diz que foi agredido por Aleluia em confusão durante votação na Câmara

câmara

Além de agressões, houve quebra de urnas

A votação que escolheu os deputados que vão integrar a comissão do impeachment da presidente Dilma foi marcada por muita confusão nesta terça-feira (8), na Câmara dos Deputados. O deputado federal baiano, Jorge Solla (PT), confirmou que foi agredido pelo também baiano, José Carlos Aleluia (DEM), durante votação. Além das agressões, urnas foram quebradas.

Solla afirmou que Aleluia teria partido correndo para cima dele e o agredido com um empurrão próximo a cabine de votação. O resultado da votação, que elegeu a Chapa Avulsa com 272 votos, foi contestado por deputados governistas e da base aliada, que acusaram Eduardo Cunha de ter feito uma manobra rasgando o regimento.

Três das 14 cabines de votação foram quebradas, supostamente, por parlamentares do PT e do PCdoB. O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que dois deputados foram responsáveis pela quebra de duas urnas:  Afonso Florence (PT-BA) e Daniel Almeida (PCdoB-BA).

O presidente da Casa, Eduardo Cunha, chegou a suspender a sessão e garantiu que os trabalhos continuariam.

Cunha também suspendeu o áudio da TV Câmara até que o tumulto se dissipasse. Houve discussão entre oposição e base aliada do governo. O presidente da Câmara saiu da Mesa Diretora para intervir na confusão.

Fonte/ Varela Noticias