Professores da rede municipal de Salvador entram em greve

Professores da rede municipal de Salvador entram em greve

Maioria dos docentes aprovou o manifesto para pressionar o município a universalizar a jornada de trabalho

aplb-sindicato-2

Os professores municipais de Salvador decretaram greve geral, na tarde desta quarta-feira (2), durante assembleia no estádio de Pituaçu, em Salvador. A maioria dos docentes aprovou o manifesto para pressionar o município a universalizar a jornada de trabalho. Segundo a APLB Sindicato, o movimento de paralisação começa nesta quinta-feira (3).

“Na rede municipal, nos conquistamos isso no novo plano de carreira aprovado em dezembro de 2014. Está previsto em lei e sendo implementado de forma paulatina. Não universalizou. Hoje, na assembleia, a categoria decidiu parar para que todos os professores tenham acesso”, diz Elza Melo, diretora da APLB Sindicato, ao Varela Notícias.

Pela lei, a jornada de trabalho dos professores é de 20 ou 40 horas. Parte dessa jornada, até 2/3, deve ser cumprida em sala de aula com os alunos. O 1/3 é o tempo que o profissional deve ter para realizar trabalhos, estudar e planejar as aulas. “É esse 1/3 que falta ser implementado”, continua.

“A negociação aconteceu. O secretário de educação (Guilherme Bellintani) apresentou para nós, a direção do sindicato, a informação de que contratou 150 professores na semana passada e mais 150 ontem e deu um prazo até o dia 10 de março para universalizar [a jornada de trabalho], mas a gente não aceitou isso”, completa.

O secretário Guilherme Bellintani afirmou que a implantação será realizada na próxima semana. “Oitenta e dois por cento das escolas já estão com a jornada integral implantada. Os 18% restantes serão implantados até o dia 10 de março, daqui a uma semana”, declarou em nota.

Fonte/ Varela Noticias