Saiba a importância de realizar o “teste do pezinho” em seu bebê

Saiba a importância de realizar o “teste do pezinho” em seu bebê

Exame ajuda a identificar doenças crônicas logo no início da vida

Teste-do-pezinho

Foto:Ilustração)
O Teste do Pezinho é um dos primeiros exames que o bebê faz logo após o nascimento. Entre três e cinco dias de vida, o recém-nascido deve realizar este procedimento fundamental para identificar doenças crônicas que, com o devido tratamento, podem fazer com que a pessoa possa viver com melhores condições. O exame é realizado através da coleta de sangue do calcanhar do bebê.

Leonardo Morais, pediatra e diretor médico corporativo adjunto do Hapvida, lembra que o exame é obrigatório e pode ser realizado pelo Sistema Único de Saúde. “O Teste do Pezinho é obrigatório por lei em todo o país por meio do Programa Nacional de Triagem Neonatal oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).”, disse o pediatra. A Triagem é um programa de Saúde Pública que foi implantado no ano de 2001, através da Portaria Ministerial do Ministério da Saúde, implantado em 2001.

O teste pode identificar doenças crônicas que, se identificadas logo no início da vida, podem ter um tratamento mais tranquilo e com menos sofrimento para o paciente. “O teste do pezinho ajuda na identificação das seguintes doenças: Fenilcetonuria, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística, deficiência de botinidade e hiperplasia adrenal congênita, leucinose, deficiência de G-6 PD, galactosemia e toxoplasmose congênita”, informou o diretor médico corporativo do Hapvida.

 

A pediatra Valdete Pimentel relembra a importância de se respeitar o prazo para a realização do exame, já que a depender do tempo em que o teste é realizado, pode dar resultados alterados. “O teste não pode ser feito antes das 48 horas de vida. Ele pode dar um resultado de falso-negativo para fenilcetonuria ou falso positivo para hipotireoidismo congênito”, esclareceu Valdete.

A médica também esclarece a situação de crianças que nasceram prematuras. “Para as crianças prematuras, que tenham nascido com 37 semanas ou menos, o teste do pezinho deve ser feito de preferência no final da 1ª semana de vida. Além disso, este teste deve ser realizado novamente com um mês de vida”, finaliza a pediatra.

Durante o teste, é coletada uma amostra de sangue do calcanhar do bebê. A região tem boa irrigação sanguínea e causa menos dor. O sangue é colocado num papel tipo mata-borrão e é encaminhado ao laboratório.

Fonte: Varela Noticiaas