Caso VR3: empresário do jogador admite ter adulterado e-mails

Caso VR3: empresário do jogador admite ter adulterado e-mails

Fotos: Divulgação e Reprodução

No documento de 50 páginas divulgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) que detalha o inquérito, Francisco Godoy, empresário do ex-zagueiro do Vitória, Victor Ramos, admitiu que adulterou os e-mails usados pelo Internacional no Tribunal.

 

Em depoimento ao auditor Mauro Marcelo de Lima e Silva, Godoy confirmou ter editado o conteúdo das mensagens que foram anexadas pelo Inter na ação que tentava provar a inscrição irregular do jogador no Brasileirão do ano passado e reverter o rebaixamento à Série B.

 

O inquérito do STJD revela que Godoy explicou que fez as adulterações para “resumir as informações para facilitar o entendimento dos Mexicanos”, que jamais teve a “internação de alterar o contesto (sic) das coisas”, que seu “objetivo foi sempre regularizar a situação do atleta” e que “ninguém solicitou as mudanças”.

 

O auditor determinou que o inquérito seja encaminhado à CBF para que sejam tomadas as “providências decorrentes e ao Ministério Público do Rio de Janeiro para apuração de eventual ilícito criminal”.

 

De acordo com o STJD, o Internacional não foi responsável pela falsificação dos documentos, mas, ainda assim, o Tribunal determinou o pedido de denúncia contra o clube, uma vez que este usou de documentação adulterada para comprovar sua tese. O STJD determinou que a instituição determinou o término do processo, mas não abriu mão da denúncia do clube.

 

Dinâmica dos emails

O inquérito do STJD detalha ainda a dinâmica do fluxo dos e-mails usados pelo Inter no caso. As mensagens originais foram enviadas por Anderson Barros, ex-executivo do Vitória a Francisco Godoy, que fez a adulteração do conteúdo. Logo depois, o material foi enviado a António Gutiérrez, advogado do clube Monterrey, do México, que detinha os direitos do zagueiro à época.

Depois, os e-mails foram encaminhados ao agente Décio Berman, da empresa DB Sports, que, posteriormente, repassou ao advogado André Ribeiro. Foi ele quem enviou o material ao jurídico do Inter, representado pelos advogados Felipe Dallegrave e Giovani Gazen. Exatos 81 minutos após receber o conteúdo, o clube gaúcho entrou com uma petição no STJD para tentar provar a inscrição irregular de Victor Ramos no Brasileirão do ano passado.

Fonte/ Bocão News