Magno Malta poderá ser titular do novo “Ministério da Família”

Magno Malta poderá ser titular do novo “Ministério da Família”

Senador tem histórico na defesa de pautas conservadoras

 

por Jarbas Aragão

Magno Malta e Jair Bolsonaro.

Entre as muitas especulação sobre a formação dos ministérios no governo de Jair Bolsonaro, o pastor Silas Malafaia, próximo ao presidente, garantiu que Magno Malta será ministro.

Ele disse à Folha de São Paulo que ouviu do mandatário eleito do país que Malta é uma peça importante em seu governo, descrito como “um cara vital e guerreiro”.

 

Desde a noite da última quarta-feira (31), o tema “Ministério da Família” – nome da pasta que reuniria Desenvolvimento Social e Direitos Humanos e entregue à Malta – está entre os temas mais comentados no Twitter.

Celebrado como uma boa notícia por muitos, a provável nomeação do senador irritou o PSOL de Guilherme Boulos. Na conta oficial do partido, a postagem o acusa – mesmo antes de qualquer anúncio oficial – de promover a “destruição de políticas sociais. Enquanto não é confirmado como ministro, Magno Malta empenha-se no Congresso para ampliar a chamada Lei Antiterrorismo.

projeto que está prestes a ser votado abre a possibilidade de enquadrar como “atos de terrorismo” ações de movimentos como MST e MTST.

PSOL 50

✔@psol50

 

 

Bolsonaro quer fundir os Ministérios do Desenvolvimento Social e dos Direitos Humanos no Ministério da Família e dar para Magno Malta. Negado pelas urnas, o futuro ex-senador parece ter achado a sua boquinha na destruição de políticas sociais.

09:05 – 1 de nov de 2018

3.860

1.228 pessoas estão falando sobre isso

 

O senador Magno Malta (PR/ES) chegou a ser convidado em março deste ano pelo então pré-candidato Jair Bolsonaro para ser seu vice na chapa majoritária. Mas preferiu tentar a reeleição para o Senado. Na ocasião, afirmou: “Minha vida está na mão de Deus. Do meu futuro não sei. A única coisa que sei é que o presidente será Bolsonaro, eu de vice ou não.”

Ele estava certo e o apoio constante ao capitão ao longo dos últimos anos lhe rendeu o status de um de seus homens de confiança. Após Bolsonaro ser vítima de um atentado à faca, Malta chegou a interromper sua própria campanha para ficar ao lado do amigo no hospital.

Formado em teologia, o parlamentar foi muitas vezes chamado de “pastor” pela mídia. Após o anúncio oficial que o peselista estava eleito, ele conduziu junto com familiares e membros do ‘núcleo duro’ do novo presidente uma oração de agradecimento, que acabou sendo transmitida ao vivo em rede nacional pelas maiores emissoras de TV do país.

Nesta quinta-feira (1/11) foi anunciado como ministro do Desenvolvimento Social do futuro governo. Como as demais pastas, a sua terá um perfil diferente dos governos passados. As primeiras informações divulgadas dão conta que deverá absorver a secretaria especial de Direitos Humanos.

 

Tanto Malta quanto Bolsonaro têm história na defesa da família e dos valores conservadores no Congresso Nacional.

O parlamentar nasceu na Bahia, mas sua trajetória política foi toda no Espírito Santo. Foi vereador em Cachoeiro de Itapemerim, passando a deputado estadual e, 2004. Quatro anos depois, deputado federal e, em 2002, conquistou uma vaga no Senado.

Seu perfil sempre foi combativo. Ficou nacionalmente conhecido ao presidir a CPI da Pedofilia. Uma de suas principais bandeiras sempre foi a redução da maioridade penal e a prisão perpétua para pedófilos e narcotraficantes.

Na época do impeachment de Dilma Rousseff fez vídeos com discursos incisivos, confrontando o PT. Também foi ardente defensor de medidas mais duras no combate à corrupção.

Com informações Gospel Prime