Na fila do SUS há quatro meses, mulher que tentou salvar caminhoneiro em acidente com Boechat ganha tratamento para doença

Na fila do SUS há quatro meses, mulher que tentou salvar caminhoneiro em acidente com Boechat ganha tratamento para doença

Foto: reprodução/Record TV

De acordo com a revista IstoÉ, ela está sendo avaliada pelo doutor Feres Chaddad Neto, especialista em MAV e professor de neurocirurgia da Unifesp

 

A camelô e vendedora de veículos, Leiliane Rafael da Silva, de 28 anos, que ficou famosa no país ao tentar salvar o motorista do caminhão envolvido na morte do jornalista Ricardo Boechat, ganhou uma surpresa na última semana. Portadora de malformação arteriovenosa (MAV), ela emocionou o Brasil, pois depende do Sistema Único de Saúde (SUS) para ter o tratamento. Diante disso, ela receberá ajuda.

De acordo com a revista IstoÉ, ela está sendo avaliada pelo doutor Feres Chaddad Neto, especialista em MAV e professor de neurocirurgia da Unifesp. Além disso, segundo o programa Balanço Geral, ela receberá cuidados da ONG Amáveis, que ajuda pessoas no tratamento da doença.

Leiliane descobriu a MAV há quatro meses, mas mesmo assim vive normalmente como se cada dia fosse seu último. “Se eu sentir dor ou convulsão, eu deito. Quando passa, eu levanto e começo a preparar a comida, ou a limpar a casa”, disse à IstoÉ.

Ela ficou famosa na última semana por um vídeo que viralizou na internet, no acidente que vitimou o jornalista Ricardo Boechat. Enquanto várias pessoas filmavam as consequências o incidente, ela fazia esforço para tirar das ferragens o motorista do caminhão atingido pelo helicóptero em que estava o ex-âncora de Band e Band BandNews FM.

As  informações  são  do  varela  Noticias