Pane seca provocou acidente com avião de Angélica e Luciano Huck

Pane seca provocou acidente com avião de Angélica e Luciano Huck

 

 

 

Aeronave com Luciano Huck e Angélica não tinha condições de voar por causa de dois equipamentos essenciais que estavam inoperantes

O relatório final do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) apontou que uma pane seca provocou o acidente com o avião que levava o casal de apresentadores Luciano Huck e Angélica, em maio do ano passado.

A aeronave não tinha condições de voar por causa de dois equipamentos essenciais que estavam inoperantes: o gravador de dados de voz, que é uma das caixas-pretas, e um sistema que diminui automaticamente a resistência do ar em uma das hélices quando ela para.

O “Jornal Nacional” desta quinta-feira (20) detalhou o documento que diz que o motor esquerdo da aeronave parou de funcionar com 35 minutos de voo. O relatório concluiu que o tanque da asa esquerda tinha no máximo 160 litros de combustível e não 350 litros, conforme indicado no equipamento que marca a quantidade do combustível. Os sensores foram instalados em posições trocadas e, assim, enviavam informações erradas ao painel de controle.

Se não fosse a troca dos sensores, a tripulação poderia ter usado o combustível que estava na outra asa. Ocorreu o apagamento do motor esquerdo e a aeronave realizou pouso de emergência em uma fazenda, em Rochedo – a 83 quilômetros de Campo Grande. Os pilotos e os passageiros saíram com ferimentos leves.

Além da família Huck, estavam a bordo também duas babás, o piloto e o co-piloto. A família foi socorrida e encaminhada para o hospital Santa Casa de Campo Grande, onde recebeu atendimento no setor de ortopedia. Após passarem por exames, os apresentadores foram transferidos para o hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Fonte: RD1