Politica: Após mais um escândalo, Romário admite que teve conta em banco suíço

Politica: Após mais um escândalo, Romário admite que teve conta em banco suíço

Ex-craque revela ter utilizado conta no BSI quando jogava na Europa

Romário

Foto: Divulgação

O caso da conta no exterior com valor milionário ainda atormenta o senador Romário (PSB-RJ), que admitiu ter possuído uma conta no banco suíço BSI na época em que jogava na Europa, de acordo com entrevista publicada pelo jornal ‘O Globo’, nesta sexta-feira (27).

Citado na gravação que resultou na prisão do líder do Governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), o parlamentar considera o episódio como uma ‘fanfarronice’ e aguarda um pronunciamento do Ministério Público acerca de uma possível investigação da conta. Mesmo que o banco suíço já tenha entregue uma declaração com a informação de que a conta citada não pertence ao ‘baixinho’.

“Fanfarronice do senador (Delcídio) em ter me colocado nessa história. Em relação ao que o advogado (Edson Ribeiro) fala, a gente está vivendo momento bem diferente no Brasil. Não se pode dar mais credibilidade a bandido, vagabundo. Ouviram meu nome ser dito numa gravação de um assunto que foge completamente do que esses vagabundos estavam fazendo lá. Eu estou tranquilo, porque não devo porra nenhuma a ninguém e não tenho conta na Suíça”, diz Romário.

O ex-craque acredita que a conta foi fechada automaticamente por falta de movimentação e nega que algum dia esteve em companhia de Guilherme Paes, sócio do BTG Pactual, banco proprietário do BSI. Guilherme é irmão do prefeito Eduardo Paes, que tem esperança de receber apoio nas eleições municipais do Rio de Janeiro no próximo ano. Romário diz que ainda não sabe se haverá um apoio ao futuro candidato.

Fonte/ Varela Noticias