Presidentes da Odebrecht e Andrade Gutierrez são presos pela PF na Lava Jato

paint_ok_

Batizada de “Operação Erga Omnes”, ação investiga crimes de formação de cartel, fraude a licitações, corrupção, desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro, entre outros

 

Agentes da Polícia Federal (PF) cumprem, na manhã desta sexta-feira (18), 38 mandados de busca e apreensão, nove mandados de condução coercitiva, oito mandados de prisão preventiva e quatro mandados de prisão temporária em quatro estados. Esta é a 14ª fase da Operação Lava Jato, que investiga o escândalo de corrupção na Petrobras, e tem como alvo as empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez.

Entre os presos estão os executivos Márcio Faria e Rogério Araújo, da Odebrecht, além de Marcelo Odebrecht – presidente da empresa. Otávio Marques Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez, também está preso. A prisão temporária tem prazo de cinco dias, podendo ser prorrogada pelo mesmo período. Já a prisão preventiva pode ocorrer por tempo indeterminado, enquanto durarem as investigações.

Batizada de “Erga Omnes”, a operação investiga crimes de formação de cartel, fraude a licitações, corrupção, desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro, entre outros, para as duas grandes empreiteiras com atuação no mercado nacional e internacional.

De acordo com nota da PF, cerca de 220 policiais federais trabalham na operação. Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde permanecerão à disposição da Justiça Federal.

A Odebrecht foi citada em 15 de setembro do ano passado durante um depoimento de Paulo Roberto Costa, que cumpre prisão domiciliar no Rio de Janeiro. Ele detalhou à Polícia Federal supostas irregularidades cometidas pela empresa em contratos com a Petrobras. Também estão em andamento medidas de busca e apreensão na empreiteira e nas casas dos executivos.

Fonte/ varelanoticias/foto/G1