Proprietário de som emite nota sobre a estrutura oferecida ao cantor J Neto, que abandonou o palco em Jacobina

Proprietário de som emite nota sobre a estrutura oferecida ao cantor J Neto, que abandonou o palco em Jacobina
Nesta segunda-feira, 26 de outubro de 2015, o empresário Francisco Oliveira, proprietário do Estúdio Art e Chicão Som, enviou uma nota ao nosso site, para relatar o seu ponto de vista com relação ao show do cantor gospel J Neto em Jacobina. No último sábado (24) o foi de J Neto foi interrompido na Concha Acústica em Jacobina na terceira música. Uma das alegações do cantor para desistir de continuar a apresentação foi segundo o mesmo problemas na sonorização. Veja a nota à seguir.

“Esclarecimento. Após vários eventos realizados por nós no Espaço cultural Luiz Eduardo Magalhães (concha acústica) fui procurado pela terceira vez pelo organizador do evento Pr Jairo, pra que fizéssemos a sonorização do evento da família… com o crescente número de público e levando em consideração da cobertura de som dos eventos anteriores onde o espaço tem se tornado pequeno pra a quantidade do público,aumentei consideravelmente a quantidade de som, aproximadamente 30 mil watts, distribuídos em 3 pontos sendo PÁ principal embaixo no palco, torre içada ao nível da praça com a potência superior ao som do palco principal, mais uma torre menor próximo ao restaurante La Bella massa.

Montamos em tempo hábil e nos preparamos pra um grande evento.
Pra minha surpresa chegou à tarde o produtor do artista J Neto com Playbacks ( trilhas de áudio pré gravadas similares a um karaokê ) O “ARTISTA IRIA SE APRESENTAR SEM ACOMPANHAMENTO DE UMA BANDA” perguntou qual seria o microfone a ser usado pelo artista me pediu que fosse adicionado ao retorno de palco um par de spots (caixas de retorno frontal) somando se a um Side fill já existente, o produtor ouviu o resultado do teste efetuado no palco precisamente as 16:30h, fizemos os ajustes necessários e passamos o som das bandas a se apresentarem.

Pra resumir…Três bandas e dois artistas locais antecederam a apresentação do artista principal quem estava lá viu e ouviu apresentações tranquilas sem transtornos e com som definido e principalmente com ausência de microfonia (aqueles apitos tão desagradáveis no som) vídeos e Áudio gravados nas apresentações comprovam a veracidade do fato. Quando o desenrolar da apresentação do artista principal,quem é do ramo de áudio conhece,nada podemos fazer com um playback….pra o leigo algo exatamente ao karaokê, tudo que o técnico faz e dar play na música e o cantor cantar…nada mais que isso….

Ora um artista conhecido e renomado não passa som,não traz o seu microfone (usar um microfone comum a todos passa a ser até anti-higiênico pois se trata de um equipamento pessoal e com contato direto na boca,expediente hj usado não só por grandes artistas mas também por pequenos) durante a apresentação das 3 músicas aumentei consideravelmente o volume do retorno à pedido do produtor, em dado momento adicionei mais um “rear Side” (caixa de som as suas costas) ao todo esse arsenal de monitoração seria mais que suficiente pra realizássemos um evento num local fechado, realizei ajustes várias vezes diretamente ouvindo os Spots com auxílio de um remote (IPad) ao voltar do último ajuste avisei ao produtor que estava além do limite e que microfonias surgiriam a qualquer momento, ao fim da terceira música a microfonia aconteceu, ele veio até nós e avisou que o som estava horrível e que eu consertasse…fiquei surpreso, sinceramente com toda minha experiência não sabia o que fazer,alguém reclamando de um som de playback…ele se retirou do local praticamente jogando o microfone em cima de uma caixa.

O público vaiou-o acintosamente, as pessoas que lá estavam acima de tudo mereciam respeito e sabiam que ate aquele momento com apresentação de bandas não tivemos microfonia alguma e naquele momento o artista mostrou seu lado obscuro, antiético e antiprofissional.

Imaginemos um cenário onde o som estivesse abaixo da média, onde o microfone não fosse top de linha, o público pequeno, onde faltasse as condições mínimas pra uma apresentação mesmo assim não justificaria tal atitude, imagine onde o organizador se esmerou com a melhor hospedagem, traslado, cachê, camarim, e acima de tudo calor humano, pessoas lá o aplaudindo, vendo nele um ídolo, um exemplo enfim tudo de bom que se possa imaginar de alguém…

Modéstia à parte faço parte do cenário musical regional há quase 30 anos, sempre primando pela ética, qualidade e profissionalismo. Meu equipamento e de porte pequeno que aliado aos meus conhecimentos tenho tido excelentes resultados e elogiado por todos não pelo tamanho mas pela qualidade do meu trabalho… e tratamento dos artistas sejam eles grandes ou pequenos..
Ficou feio na fita Sr J Neto, pegou mal muito mal…
O Senhor agradeça a nosso bom Deus e a educação do jacobinense, porque em outro cenário até sua integridade física não seria garantida…
Do meu lado agradeço as manifestações de apoio dos organizadores do evento e do público presente que afirmou e reconhece a qualidade do nosso trabalho…
Muito obrigado.
Chicão”.

Fica aqui o espaço aberto neste site para que o cantor J Neto em querendo relate sobre os fatos, principalmente agora, depois do ocorrido.
Fonte/ augusto urgenteIMG-20151025-WA0004 IMG-20151025-WA0016