Capim Grosso: Eleição para Conselheiros Tutelares poderá sofrer alterações

Conselho Tutelar 2

A eleição do Conselho Tutelar Realizada no dia 04 de Outubro, entrou para a história como sendo um dos mais grandiosos pleitos já realizados. As escolhas foram oficializadas no mesmo dia pela comissão eleitoral, comandada pelo CMDCA – Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do adolescente – que tem como presidente, Marlene Novais, com participação do Ministério Público, na pessoa do Promotor de Justiça, Dr. Luciano Valadares, dentre outras representações da sociedade civil organizada.

Dias depois da oficialização do resultado, a candidata Ely, que ficou como primeira suplente impetrou junto ao CMDCA, uma denúncia contra a candidata Leila, 3ª colocada na eleição, apresentando como justificativa na solicitação, que Leila teria sido beneficiada com a distribuição de água mineral, suco e café, através de um espaço montado com um toldo e que seria de responsabilidade de Zezé de João Grilo, principal nome da campanha de Leila. Com a denúncia, Leila resolveu denunciar também Ely e Vevéu, 4º colocado na eleição. Na petição trabalhada por Leila, Ely e Vevéu teriam feito a distribuição de chapas com fotos de ambos agregados, o que também seria uma atitude vedada pelo edital que determinou os rumos da eleição.

O prazo para a apresentação da defesa para cada denunciado finalizou nesta quarta-feira, 21 de Outubro, com o CMDCA e demais membros da comissão eleitoral passando agora a analisar todo o processo, para então anunciar uma decisão.

A presidente do conselho, Marlene, informou que a comissão só se pronunciaria após ser tomada uma decisão.

Fonte: Fr Noticias