Capim Grosso: Projeto Peixe Vivo, debate com Vereadores ações para meio ambiente.

Projeto Peixe VivoProjeto Peixe Vivo 2

As sessões na Câmara de Vereadores de Capim Grosso, estão sendo marcadas pela presença de pessoas de varias idades, nesta terça feira (24), estiveram presentes os alunos do Centro Cultural Peixe Vivo, de autoria do poder Executivo, comandado pelo Diretor Cultural, Wilson Denis e na oportunidade os participantes cobraram das autoridades ações mais ações em defesa do meio ambiente, além de tocarem e exibirem cartazes.

As alunas Michele Ferreira e Graviela Santos, do Projeto Peixe Vivo, implantado no povoado do Peixe, representaram o grupo e falaram sobre a preocupação com a natureza, com os poucos mananciais ainda existentes em estados críticos, levado pela ação desordenada dos governos e empresas, que resultam na deterioração da água. Falaram também sobre a secagem de córregos, tanques e reservatórios. A preocupação dos jovens é de que os seres humanas irão sobreviver acaso secam todas as fontes liquidas do planeta. Pediram a solidariedade dos Vereadores, para ser elaborado uma Lei que preserve o futuro e garantia da sobrevivência.

Vado Verdes Mares comentou que o Projeto Peixe Vivo é de muita importância, ainda mais falando sobre a preservação do meio ambiente. Agradeceu ao professor Wilson Denis pelo trabalho desenvolvido com os jovens e crianças, que são o futuro do país. Disse também ter conhecimento que estudantes do KM 02 estão vindo em pé nos ônibus escolares, correndo risco de cair após uma freada brusca. O edil falou que já esteve com o Prefeito e Secretario de Educação e que o problema será resolvido. Explicou que é dever de cada cidadão pedir aos filhos que não destruam as praças e que jovens jogam futebol no local, destruindo as plantas. Informou ainda que a feira livre esta cada vez mais difícil de controlar, pois um rapaz passou ao seu lado com uma moto em velocidade fora do normal, podendo estar bêbado ou drogado e desaparecendo em seguida, e que ninguém tem direito de pilotar com falta de educação nem mesmo na zona urbana, ainda mais na feira livre. Sobre o projeto de Lei para padronização das pinturas de escolas e órgãos municipais, pediu para ser levado ao conhecimento da população para que possam escolher a cor. Também ressaltou a ida do Prefeito até Salvador para tentar conseguir o tapa buracos da parte da BR 324 que passa em frente a UPA.

Antonio de Bras comentou sobre a estrada boiadeira que liga o KM 02 ao KM 17, onde enviou requerimento para roçagem, pois muitas pessoas ainda trafegam pelo local que esta fechada pelo mato, pedindo que o Prefeito e a Secretaria responsável que faça esse serviço. Falou sobre uma audiência publica em Salvador, sobre a semana mundial da água e aproveitou a oportunidade para visitar o DENIT para fazer cobranças. Cobrou também o termino das obras de abastecimento de água de Curral de Pedras, Mata do Estado, Recanto da Seriema, Várzea das Pegadas, Barro Vermelho e outras, informando que a Embasa se queixa da Coelba que ainda não ligou a bomba de elevação. Informou ainda sobre a prestação de contas do exercício de 2014 do sindicato dos trabalhadores e trabalhadoras rurais de Capim Grosso, mostrando centavo por centavo do dinheiro do sindicato.

Samoel moto Taxi comentou que quando ele e o Vereador Antonio de Braz foram às escolas e encontraram crianças estudando sentadas no chão, a primeira pessoa a receber o oficio informando o descaso, foi o Secretario de Educação e só foi publicado na mídia depois que não suspenderam as aulas, até a chegada das cadeiras. Samoel disse que não tem nada de politicagem, que “se tiver as coisas erradas e não puder falar do que adianta?”, interrogou. O Vereador confirmou que o Deputado discursou na Assembleia Legislativa em relação a esse problema e vai continuar falando se as coisas não forem resolvidas . Denunciou uma obra parada na Rua Padre Osmar em convenio com a CONDER, no valor de 300 mil reais, com apenas cem metros de pavimentação e aproveitou o ensejo e fez um requerimento verbal pedindo o comparecimento na Secretaria de Obras para explicações , de quanto a CONDER passou para o município e quanto esta sendo feito. Comentou que os vereadores são taxados porque a informação não chega para o povo, pois a comunidade precisa estar acompanhando e pediu apoios dos colegas para que a Secretaria de Urbanismo compareça à Câmara para esclarecer porque as obras não foram terminadas. Confirmou com precisão que o problema não esta na CONDER. Disse que em outras situações passou se uma semana queimando fogos comemorando a chegada de outras obras, então, pediu então explicação de quando a obra trava, o que é que acontece. Sobre o Plano de Cargos e Salários de Servidores tornou se uma brincadeira, disse Samoel ao plenário, “pois o Secretario vai em radio e em tribuna da Casa, avisando que manda hoje ou amanha, e quando chega na ultima hora fala que não pode mandar, esta uma situação chata e desagradável”, e pediu empenho da Casa, pois vem projetos e projetos de autoria do Executivo e quando o Vereador não vota, diz que esta impedindo os trabalhos, então pediu ao Secretario de Finanças e ao Prefeito a resolução mais rápida possível dessa situação. Disse que todas as suas cobranças estão protocoladas com oficio.

Gilberto Alves pediu também a Secretaria de Agricultura a roçagem e limpeza da estrada que liga o povoado do Peixe ao Morro Branco, pois o mato esta impedindo a passagem e também a vicinal se encontra esburacada. Cobrou uma operação tapa buracos e poda de árvores no povoado. Comentou da importância do professor Wilson Denis no projeto Peixe Vivo, tirando crianças das ruas e até de bares do povoado. Sobre a feira livre informou novamente que o caminhão se encontrava na feira livre pela parte da manhã atrapalhando os transeuntes e feirantes.
Vanderley Araujo também falou sobre os problemas da feira livre, aonde chegou a fotografar cerca de quinze carros e motos no horário das 15 horas e informou que vem acontecendo acidentes. Pediu que o Prefeito e Secretario responsável coloquem guardas na feira, pois já presenciou carros com som ligado em frente a bares, no horário das 14 horas. Fez um requerimento verbal em razão de cisternas na zona rural, principalmente na comunidade de Lajedo, e já que se fala em evitar problemas e acidentes se faça a manutenção das tampas.

Frank Neto comentou sobre o Centro Cultural Peixe Vivo, que faz parte da educação do município, onde muitos problemas podem ser minimizados no futuro se apresentarem trabalhos como esse, voltado para cultura e oferecido para comunidade com aulas de dança, musica, instrumentos de sopre, percussão e outros, pois é através da educação, musica e esporte que as pessoas podem ter comportamentos diferenciados . Parabenizou a Secretaria de Saúde pela resposta ao pedido de um profissional de cardiologia para o município, além de mais duas especialidades que chegam a município, sem contar o atendimento cada vez mais rápido e eficaz. Sobre o projeto de padronização das escolas e órgãos municipais disse que os estudantes de um ano é são uns e de outro ano serão outros e também as gestões serão assim, e as cores do município precisam serem lembradas, valorizando a bandeira e a historia da cidade e dessa forma não beneficia ninguém, pelo gosto de um ou de outro, além de não trazer prejuízos financeiros, pois as pinturas novas só serão colocadas quando os prédios precisarem passar por reforma, aproveitando para pedir ao colega Vivaldo que ajude a dar continuidade ao projeto. Explicou que o projeto traz a possibilidade de minimizar os custos, pois cada gestor tem um cor que se agrada ou que lembra sua campanha. Informou sobre a participação da cantora Fernanda Brum, no aniversário da cidade que se iniciará com comemorações a partir do dia 08 de maio. Sobre o problema da Rua Padre Osmar, sendo iniciada a obra e não foi concluída, disse que foi em busca do recurso frente a CONDER e foi beneficiar o maior numero de pessoas colocando também para a Rua Verdes Mares no KM 2 e disse também estar indignado e que pelo seu conhecimento o problema é da empresa que ganhou a licitação, sendo um calo para a administração empresas ruins ganham licitações e que o Vereador Samoel Moto Taxi esta correto quando pedi explicações da Secretaria de Urbanismo.

Bruno Vitor falou sobre um encontro com Padre Xavier onde comentou sobre memórias do município e pediu ao prefeito que fiscalize o tombamento histórico do Morro Branco. O edil ainda falou sobre as questões das lagoas, e que aos poucos estão sendo entupidas e pessoas estão sendo mesquinhas com terrenos e outros estão invadindo e esta na hora da Casa rever essa situação e pedir a construção de parques, como existem em outras cidades. Lembrou que Capim Grosso é uma válvula de escape e no final se torna um funil e esta entupindo, perguntando para onde vai a água da chuva do Bairro Oliveira. Pediu aos pares da Casa um projeto de revitalização. Bruno reclamou que vem projeto do Executivo para a Câmara aprovar a todo momento e tem sido votado, e disse que não irá votar em projeto nenhum do executivo enquanto não chegar o Plano de Cargos e Salários, que segundo ele já esta virando caso de piada e o Vereadores precisam fazer o papel. Adiantou que o reajuste salarial dos professores não vão perder, pois poderá ser votado retroativo. “É preciso dar uma resposta aos servidores, estamos cansados de votar em projetos do Executivo e Plano de Cargos e salários não chega, vamos dar um recado a administração”, finalizou.

Hildete Carvalho também falou sobre o trabalho do professor Wilson Denis, que não se restringe apenas a Capim Grosso e alcança em toda região, sido apresentado pelo Padre Xavier. Falou que o Plano Diretor já foi votado para que não possam construir as margens das lagoas e que na Lagoa de Dete de Pedrinho não será construída residências e sim existe um projeto é para revitalização, incluindo pista de Cooper. Pediu que o Vereador Samoel Moto Taxi fotografasse o caminhão carregado de cadeiras que chegou para as escolas e que no passado viu professoras sentadas no chão. Falou que os deputados que foram votados aqui tragam projetos. Disse que as denuncias de falta de cadeira não combina com a administração atual pelo trabalho que vem desenvolvendo na educação. “Um trator é pouco”. Informou que as carteiras chegaram não foi porque os vereadores denunciaram e sim porque já iriam chegar.

Palavra do Presidente – O Presidente da Câmara, Prof Ney, disse que o papel e dever do Vereador é legislar e fiscalizar, fazendo os projetos passarem pela Casa e muitos cidadãs e cidadãos já sabem dessa importância. Informou que já existem projetos suficientes para conter o avanço de construções nas lagoas, e que já foram mapeadas, faltando o embargo das obras e punição. Informou sobre encaminhamento de ofício para as secretarias de finanças e educação sobre o Plano de Cargos e salários e reajuste salarial dos professores.

Informações: Ascom/Câmara