Capim Grosso registra cerca de 1.100 casos de agressões contra mulheres

Capim Grosso registra cerca de 1.100 casos de agressões contra mulheres

 

Em entrevista a Radio Transemérica Hits 90,9 FM .O delegado de Polícia de Capim Grosso, Dr. Humberto Marino, na última terça-feira, 24 de outubro, informou que o município já registrou aproximadamente 1100 ocorrências de violência doméstica só em 2017, tendo como vítimas mulheres esposas, mães, companheiras, filhas, avós. Só na manhã desta terça-feira, foram registradas três ocorrências, fatos que crescem a cada dia e que vão precisar muito do apoio de toda a sociedade. “Uma violência desenfreada que atinge a família da vítima, vizinhos e toda a sociedade”, pontou o delegado.

Matéria da revista Exame datada de 08 de março de 2017, traz relatos alarmantes em nível de Brasil. Uma em cada três mulheres sofreram algum tipo de violência no último ano. Só de agressões físicas, o número é alarmante: 503 mulheres brasileiras vítimas a cada hora.

Esses números, que mostram o persistente problema da violência contra as mulheres no Brasil, fazem parte de uma pesquisa feita pelo Datafolha e encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança.

Os dados, divulgados no Dia Internacional da Mulher, mostram que 22% das brasileiras sofreram ofensa verbal no ano passado, um total de 12 milhões de mulheres. Além disso, 10% das mulheres sofreram ameaça de violência física, 8% sofreram ofensa sexual, 4% receberam ameaça com faca ou arma de fogo. E ainda: 3% ou 1,4 milhões de mulheres sofreram espancamento ou tentativa de estrangulamento e 1% levou pelo menos um tiro.

A pesquisa mostrou que, entre as mulheres que sofreram violência, 52% se calaram. Apenas 11% procuraram uma delegacia da mulher e 13% preferiram o auxílio da família.

E o agressor, na maior parte das vezes, é um conhecido (61% dos casos). Em 19% das vezes, eram companheiros atuais das vítimas e em 16% eram ex-companheiros.

As agressões mais graves ocorreram dentro da casa das vítimas, em 43% dos casos, ante 39% nas ruas.

Texto: Arnaldo Silva/ com informações da Revista EXAME.

As informações são do FR NOTICIAS