Capim Grosso: Vereadores aprova feriado de Nossa Senhora da Conceição

Capim Grosso: Vereadores aprova feriado de Nossa Senhora da Conceição

Na sessão dessa segunda feira, 15, os vereadores aprovaram Projeto de Lei, que determina feriado municipal o dia 08 de dezembro, anualmente como Dia de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira da cidade.

Palavra do Presidente – Bruno Vitor comentou sobre os festejos de comemoração dos 32 anos de emancipação política de Capim Grosso. Jovens com destaques no esporte, peças teatrais e que não existe cidade entre feira de Santana e Juazeiro com tamanho crescimento, faltando apenas incentivo para geração de empregos, mas com tempo irá chegar empresas e oportunidades aos jovens. Informou que esteve presente no Camboeiro e que há pouco tempo foi declarado como patrimônio, “as pessoas eram difíceis e se via que eram descendentes de escravos e hoje já é um povo mais aberto e comunicativo, com a ajuda da igreja católica e Padre Xavier, Rotary Club , Pastoral da Família”. Comentou também sobre o show gospel e desfile da garota 9 de Maio, no qual a vencedora é do povoado do Peixe. “Quando o colega vereador fala e que recebe críticas por fazer menção a empresas e coisas que não estão dando certo, é obrigação de qualquer vereador, pois é a população que paga o salário da gente”. Disse que o vereador de situação faz o seu papel, houve uma licitação para transporte que foi fiscalizada por vereadores empresa entrou com 2,4 milhões, para fazer o transporte escolar, e foi derrubado para 1,4 milhão. Falou ainda do papel importante da gestora municipal, que não compactua com esse tipo de coisa e pediu aos edis que independente de ser situação ou oposição vá ao gabinete, e indiquem que o dinheiro está descendo pelo ralo, “e depois fale que ela compactuou e que não deu importância, eu desafio”, concluiu.

Nem Souza comentou sobre a equipe da pastoral que luta para manter as festividades do dia das mães. Sobre o Bairro Mutirão II, disse que ficou esquecido por vários anos, e que tem uma equipe construída uma casa para uma família carente e falta um gestor que dê atenção. Comentou que os edis fazem requerimentos e não são ouvidos pelos gestores e que a Prefeita Lydia Pinheiro possa ver com o urbanismo um projeto para aquele bairro, pois se chovesse muito seria um horror no local. Também a Rua da Saudade, precisa de calçamento “e o Bairro Jardim Araújo é quase todo calçado, falta pouco”, disse.

Antônio Martinho falou sobre o aniversário dos 32 anos de emancipação e a participação do morador do Lajedo, conhecido como Beú, que venceu em primeiro lugar a tradicional marota Otaviano Ferreira, entre os Capimgrossenses. “Ontem foi dia das mães e tivemos o prazer de votar a favor do Projeto da Emaculada Conceição, há mais de dois mil anos atrás, foi vista como a bem aventura e mãe de Jesus Cristo”, comentou. Reclamou que se passaram alguns meses e a máquina patrol parada com as estradas em situações caóticas, mas já voltou a funcionar. Sobre a limpeza das aguadas comentou que há tempos sem chuvas, mas que a qualquer momento pode chegar e que as maquinas sejam direcionadas para limpeza desses locais, pois as pessoas do campo vivem em crise e sem condições financeiras para fazer o serviço pago. Informou que um poço artesiano está parado na Fazenda Tigre e tem uma produção de água boa e está adentrando no período de verão sem perspectiva de inverno, então espera que a gestão adquira a bomba e traga a alegria colocando o poço em funcionamento. “A iluminação pública do campo está chegando, algumas comunidades já estão recebendo” e em nome dos camponeses agradeceu à gestão. Está sendo feito o catalogo que a embasa necessita sobre as plantas nativas e a cada dia o degrau começa a ser construído e em breve a cidade será contemplada com o projeto de rede de esgoto.

Jó Queiroz disse que o Executivo só da atenção quando precisa, pois pediram através de requerimento para o adiamento das inscrições da seletiva e que foram entregues três dias depois, falou ainda que o vereador Samoel Moto taxi fez um requerimentos pedindo informações e não conseguiu e que tem o apoio dele para pedir através do Ministério Público

Samoel Moto Taxi disse ter em mãos um requerimento que o Vereador Jó citou e que na condição de vereador se torna vergonhoso, requerendo o contrato do transporte escolar que é natural, para qualquer cidadão requerer de qualquer empresa que esteja trabalhando no município. Lembrou que a gestão passada negou o contrato, pois havia uma denúncia para ser feita, e foi feita, pois foi encontrado um Monza rodando no lugar de uma Combi. “Se nós que somos os olhos fiscalizadores do dinheiro ai falta na hora que mais necessita, no Posto Médico e na hora de uma consulta, fica tudo limitado”, alertou. “Estou querendo novamente o contrato de todas as empresas que estão trabalhando no município de Capim Grosso e também a planta do projeto, pois já tem obra sendo embargada por estreitamento de alicerce”, informou. “A empresa faz e depois vem o desvio e o rombo do município, para mim é vergonhoso, se nós não votarmos no Executivo diz que é porque somos oposição, está sendo votado as diretrizes que é importante e eu voto a favor, agora prefeito quer negar contrato e quer conta aprovada, quando vem rejeitada é porque nega contrato e vereador tem que requerer ao Ministério Público”, disse. “Uma Câmara de vereadores ter que entrar no MP para ter acesso a um contrato, as Câmaras tem que fechar, pois basta tantas publicações como Lava jato e muitas vezes em nossos olhos aqui pertinho e a empresa vem leva o dinheiro público e se isso acontecer o legislativo é culpado, independente da bancada, pois somos os fiscais do povo”. Convidou os vereadores para acompanharem de perto o setor de distribuição de frutas.

Nanal vilas Boas falou do requerimento que pede Wi-Fi gratuito no Bairro Jardim Formosa, outro requerimento é sobre a doação de um terreno medindo 10 metros, para a AEC TEA, que possam construir a sede e promover a cultura por muito mais tempo. “É preciso que o poder público tenha sensibilidade, pois Capim Grosso tem muitos talentos nessas áreas”, continuou. Sobre as escrituras do Bairro Planaltino também tem requerimento onde falava dos gastos desnecessários de água e luz, porém a gestora pediu a Secretaria de Urbanismo e foi colocado uma pessoa para fiscalização, e que foi constatado que na Praça José Esteves, antes se pagava R$ 1.907,79 e cai para mais R$ 634,95, no cemitério de R$ 1.775,28 caiu para R$ 73,20 o Centro esportivo R$$ 1.152,23 reais caiu para 73, 20 o Posto Médico da Caiçara se pagou 3 611,49 caiu para R$ 121 ,35. “Antes de ser vereador já conversava com a Secretária de Urbanismo e de Finanças e não sinalizavam e no papel no ano, terá dinheiro para se construir uma praça e o pior de tudo, antigamente a garagem de transporte pagava R$ 1888, 86 e agora é empresa com atividade de frios e até hoje a conta continua vindo para a prefeitura e um grande empresário consome o produto, doe na alma de todos nós, ai falta dinheiro do esporte e cultura. Comentou que luzes na quadra de skate ficam acesas e que o horário deveria ser até as 22 horas e a guarda municipal passar por lá e desligar, “quando somam no mês e no ano isso faz a diferença”, relatou. Criticou que a prefeitura achando que através de secretario, sem consultar o setor fez uma contratação no mínimo equivocado, por processo de elegibilidade que dispensa o processo de licitação, uma assessoria e consultoria para o setor de tributos e o contrato vai para 8 150 reais por mês, é que existe a empresa Express que entende do assunto e não vejo uma empresa do dobro do valor da Express.

Lucas Maciel disse que é necessário se preocupar com tudo da cidade, e que o semáforo de pedestres está precisando de manutenção, e pediu atenção a esse requerimento. Atento a fala dos colegas, deu apoio ao feriado municipal da Emaculada Conceição. Sobre as estradas, disse que as pessoas sentem saudade do vereador Antônio Martinho como Secretário de Agricultura, pois até agora não viu ainda maquinas rodando, “não vimos uma ação da secretaria de Agricultura que a população possa aplaudir”, afirmou. Comentou que o que a empresa faz com o setor de tributos é um desrespeito aos funcionários, pois existem pessoas que são formadas em administração e contábeis, falando de forma técnica e a empresa dizendo que os funcionários não servem. Informou que será feita a denúncia que não há necessidade dessa empresa no município. Falou ainda que a população votou para os vereador fazer a fiscalização e por conta desse tipo de empresa que a prefeitura não manda os contratos para a Casa, e o regimento interno da legalidade a esses pedidos.

Fonte/ Facebook da Câmara