Gilson da Silva fala sobre desistência da prefeita Lydia quanto a recuperar o Clube AACC e avisa: “Seria covardia do município cobrar impostos do Clube desativado há 15 anos”

Gilson da Silva fala sobre desistência da prefeita Lydia quanto a recuperar o Clube AACC e avisa: “Seria covardia do município cobrar impostos do Clube desativado há 15 anos”

Em entrevista ao JORNAL TRANSAMÉRICA COM ARNALDO SILVA, no dia 05 de Abril, Gilson da Silva, sócio fundador do Clube AACC e membro da comissão que trataria sobre o projeto sugerido pela gestão da prefeita Lydia Pinheiro, PSD, que propôs em audiência pública recuperar o Clube AACC e transformar em um espaço para o desenvolvimento de ações sociais, disse: “Nunca recebemos da administração municipal o projeto que ficou de ser enviado e nem tão pouco informações sobre a desistência da gestão”, colocou Gilson. E disse mais: “a situação do Clube hoje só recuperaria a prefeitura, mas como a gestão não pretende mais seguir com o projeto eu que pensava diferente entendo que a solução de tudo está em vender o terreno do Clube AACC, uma entidade que deu tantas alegrias para Capim Grosso.

Gilson falou ainda sobre a retirada de matérias do Clube AACC. “Eu fiquei sabendo que a retirada de materiais do Clube teria tido a influência de um nome da política local, mas como não temos provas não poderemos afirmar, agora havendo informações concretas, nós vamos acionar a justiça”, desabafou Gilson que entende que o Clube é uma entidade particular e não pode ser invadida dessa forma.

Gilson falou também sobre as piscinas e cisterna que foram entupidas por conta da proliferação da dengue. “Alto totalmente compreensível e em momento algum seriamos contrários a essa ação da prefeitura”, colocou o sócio fundador que demonstra ter uma grande amizade com a história do Clube AACC.

Na entrevista destaque ainda para a doção do título de Gilson para seu Francisco do Móveis, que em anos passados foi um dos grandes empresários da cidade e hoje vive sem poder ter a sua própria casa. “Ouvindo Chico dos Móveis, como assim é chamado por todos, eu fiquei bastante comovido e decidir doar meu título para ajudar na compra da casa desse grande homem”, disse Gilson emocionado com a situação que vive hoje Chico do Móveis e dona Mércia.

No embalo da generosidade de Gilson, quem também se manifestou dizendo que doaria seu título foi Nado de João Grilo. “Eu também me coloco como doador para ajudar na compra da casa”, disse Nado em participação via WhatsApp.

Na opinião de Gilson, as duas tarefas de terra que corresponde o Clube AACC, deve valer em torno de R$ 2 milhões de reais, para um total de 450 sócios em média, o que daria em torno de aproximadamente 5 mil reais para cada sócio. “Se todos entenderem que a solução é vender eu apoio, bem como gostaria que houvesse uma sensibilidade de todos em relação a situação de Chico dos Móveis”, disse Gilson que procurará marcar uma reunião com os sócios para decidir o futuro do AACC, porque no seu entendimento não pode ficar do jeito que está.

 

Texto e fotos: Arnaldo Silva, DRT – 2805/BA.

As informações  são  do  repórter  Bahia

Da redação  capimgrosso.com.br