Prefeita Lydia Pinheiro diz em entrevista que a gestão não pode atender somente aos servidores

 
Prefeita Lydia Pinheiro diz em entrevista que a gestão não pode atender somente aos servidores

Em entrevista gravada para o Jornal Transamérica 2ª edição, a prefeita de Capim Grosso, Lydia Pinheiro, PSD, respondeu aos questionamentos feitos pelo repórter e apresentador Arnaldo Silva quanto as cobranças e manifestações dos servidores da Administração Municipal, através do SINSP e dos Agentes Comunitários de Saúde e Endemias, que pedem por reajuste salarial, adicionais de Insalubridade e Noturno, Periculosidade, Progressão de Carreira, e Equipamentos de Proteção Individual, incluindo ainda o pedido dos ACS quanto ao reajuste de 7% mais adicional de Insalubridade. Sobre as cobranças a prefeita respondeu: “Já conversei com todos eles, mas não sei por que os servidores entendem diferente e vão para a rádio se manifestar como está acontecendo agora. Sobre os Agentes Comunitários de Saúde e Endemias, eles não podem receber dois reajustes, é semelhante a situação dos professores que recebem aumento via Governo Federal, o mesmo caso dos Agentes, agora não tenho culpa se o Governo vetou o aumento da categoria. Para conceder o aumento que eles estão pedindo eu preciso da autorização do Governo Federal”, disse a prefeita na entrevista. Ainda sobre os ACS, a prefeita colocou que realmente consta no Plano de Cargos e Salários, que o município tem a responsabilidade também de reajustar os salários da citada categoria, mas na verdade foi um erro e vai precisar ser corrigido. “Eles se baseiam nesse ponto da lei, mas na verdade quem deve anunciar o aumento é o Governo Federal”, colocou a prefeita. Sobre as cobranças do Servidores da Administração Municipal, colocou que na sua 1ª gestão, ela concedeu aumento, agora no seu 2º mandato também já foi dado aumento para a categoria. Quanto aos adicionais de Insalubridade e Periculosidade, o município vai precisar PPRA, documento técnico que mede o grau de Insalubridade e Periculosidade dos servidores, principalmente que trabalha no setor de saúde. “Eu sou vou me reunir com o sindicato quanto o PPRA estiver pronto”, disse a gestora que afirmou ainda: “A gestão não pode trabalhar apenas para atender uma categoria de servidores, tem os demais e mais ainda os pedidos da população, por isso é preciso que os servidores entendam que tem outras coisas no município como prioridade”, falou também que entende o direito da categoria se manifestar se referindo às paralisações de quinta e sexta, 27 e 28 respectivamente, na Praça 09 de maio, em frente à sede da Prefeitura Municipal, mas deixou claro que se a manifestação impedir o funcionamento dos órgãos da prefeitura, medidas serão tomadas contra os manifestantes.

A prefeita falou ainda sobre as casas populares, com entrega de mais 12 moradias na segunda-feira, 24 de setembro, no Bairro Estação da Luz, com a promessa por parte da empresa de no prazo de 20 dias entregar mais 12 moradias, em complemento a segunda etapa da realização de um projeto lançado em 2012, pelo Governo da Presidente Dilma Rousseff, projeto Minha Casa, Minha Vida. Dilma deixou o mandato e o projeto não foi concretizado. Só depois de um protesto muito forte do Jornal Transamérica 2ª edição, com cobranças a deputados estaduais, federais e até ao Senador da Republica Otto Alencar, com cobranças também à gestão municipal, que tem responsabilidades sociais sobre o projeto por conta da doação do terreno e por ser uma obra do município que de fato, a realização tomou novos rumos e pelo que disse a prefeita, a tão sonhada realização será concluída ainda em 2018, com a gestão da prefeita sinalizado que tem planos para serem desenvolvidos no município, no âmbito habitacional ainda no seu mandato.

A prefeita falou ainda sobre o pedido de populares do Bairro Planaltino, quanto a recuperação da quadra de esportes e do CAPS, mas segundo a gestora, depois de Nildo Jacobina, Diretor de Esportes, dizer em entrevista também ao Jornal Transamérica 2ª edição, que após os festejos de São João, a administração iniciaria o processo de recuperação da quadra, a prefeita Lydia disse que tanto a quadra quanto o CAPS só poderão ser atendidos a partir de janeiro. Em relação às pavimentações de ruas, principalmente entorno do projeto de R$ 5 milhões de reais, para a pavimentação de 18 ruas, no citado Bairro, mas devido a entraves burocráticos na Caixa Econômica Federal, o projeto ainda não pode ser iniciado. “Eles estão dizendo que sai em janeiro, mas não estou muito confiante, caso não saia eu vou partir para DESEMBAIA, porque pretendo desenvolver esse projeto no meu mandato”, disse a gestora, que falou também sobre o Clube AACC, quanto a proposta que foi apresentada em audiência pública, na Câmara Municipal de Vereadores, com sócios da citada entidade, tendo como proposta o uso por 20 anos do espaço, com recuperação por parte da prefeitura para ações de cunho social. “A proposta foi lançada, mas os sócios do Clube AACC não deram nenhuma resposta e ao analisar que muitos não concordam com os 20 anos, falam apenas em 10 anos, o que não é viável para a prefeitura, a nossa proposta está descartada”, disse a gestora acrescentando: “Iriamos gastar muito no Clube para usufruirmos apenas 10 anos, não é viável”, completou a prefeita.

Sobre a recuperação do canal da Rua Caiçara, serviço em parceria com empresários da Avenida ACM, entre os participantes Rege da Loja Rege Materiais de Construção, disse: “A obra sofreu uma parada, mas se você voltar ao local vai ver que o trabalho já recomeçou e será concluído logo, o que representa mais uma grande ação da nossa gestão. Que bom seria se outros comerciantes também participassem de parcerias como essa”, completou a gestora, falando ainda a padronização das calçadas, mais uma realização em parceria com comerciantes. Para a gestora o trabalho terá continuidade e aguarda apenas a sinalização do ex-vereador Vado V. Mares, que ficou de organizar a próxima etapa do projeto.

A entrevista tratou também sobre IDEB, na opinião da prefeita, mesmo apenas duas escolas ultrapassando a meta, no geral, o resultado do IDEB é positivo na vida do município. Falou também sobre o pedido de moradores que residem em frente ao Jazidão, que solicitaram do Jornal Transamérica 2ª edição apoio para resolver o problema de fechamento da passagem de água por Gerson, dono do Jazidão, por se sentir prejudicado com o alagamento do seu campo marcado por grandes realizações futebolísticas, o que na opinião da prefeita Gerson errou, mas um trabalho que pede pela construção de um piscinão, na parte de traz do Jazidão ajudará a resolver o problema dos moradores.

A prefeita também falou de obras, como a Creche do Povoado do Peixe, que será inaugurada em breve dias, quadras de Esportes do Peixe e Caiçara, bem como outras obras que na sua opinião resulta em pontos positivos para a sua gestão municipal.
Vale citar que no decorrer da entrevista a prefeita citou que precisa da rádio para ajudar a resolver os problemas da população. “Preciso que a rádio me aponte os problemas para que a gestão tome as providências e ajude a população nas suas demandas. ”

Texto: Arnaldo Silva– foto: Arquivo do REPORTERBAHIA.COM

Fonte/ Reporter Bahia